Artrose


Índice

1. O que é Artrose? Saiba tudo sobre ela: sintomas, causas, tratamentos, prevenção
2. O que é a artrose?
3. Como ela ocorre?
4. Quais as causas da Artrose?
5. Sintomas da Artrose
6. Diagnóstico da artrose
7. Como prevenir a artrose?
8. Tratamentos para artrose
9. Artrose nas articulações
10. Conclusão
11. Referências

1. O que é Artrose? | Saiba tudo sobre ela: sintomas, causas, tratamentos, prevenção

Você sabia que 70 a 80% das pessoas acima dos 65 anos de idade apresentam artrose no corpo, mas apenas 20 a 30% apresentam sintomas? Apesar da doença ser mais comum em idosos, ela também pode afetar jovens, ocorrendo em até 5% das pessoas com menos de 30 anos.

Neste artigo vamos ver um pouco sobre:

  • Artrose do Joelho
  • Artrose da Coluna
  • Artrose do Quadril
  • Artrose das Mãos
  • Artrose do Ombro e Cotovelo
  • Artrose do Pé e Tornozelo

2. O que é a artrose?

A artrose é uma doença degenerativa articular. Nela, ocorre o desgaste progressivo da cartilagem, ligamentos, meniscos, tendões e osso. Ela pode ser secundária, devido a causas determinadas, como sequelas de lesões articulares, deformidades, doenças reumáticas e metabólicas. Ou pode ser primária, resultante do envelhecimento, fatores genéticos e causas não determinadas.

3. Como ela ocorre?

Antes pensava-se que a artrose era uma doença exclusiva da cartilagem, mas hoje sabe-se que todos os tecidos podem estar envolvidos, como comentado anteriormente. De fato, a falta de vasos sanguíneos nas cartilagens faz com que estas possuam baixa capacidade de cicatrização e regeneração. Sendo assim, na medida em que o desgaste delas começa a ocorrer, este continua progressivamente sem reversão até o fim da vida.

Existe certo conflito de opiniões entre a nomenclatura correta para a doença, mas de forma geral os termos artrose, osteoartrose e osteoartrite são utilizados para a mesma doença. O sufixo “ose” refere-se a uma desgaste/degeneração, enquanto o sufixo “ite”, refere-se a inflamação. A doença é predominantemente degenerativa, mas existe um fator inflamatório associado. Desta forma, acredito que a denominação, de osteoartrite e osteoartrose pertinentes, mas prefiro a segunda.

A artrite é mais utilizada para doenças inflamatórias, que ainda não evoluíram para seu desgaste, como a artrite por doenças reumáticas, como o Lúpus, Artrite Reumatóide e a Febre Reumática.

4. Quais as causas da Artrose?

São possíveis agentes causadores da artrose:

Ocorrências de fraturas, as quais podem gerar perdas de tecido cartilaginoso ou incongruência articular com aumento do atrito no local;

Lesões de meniscos e ligamentos, que podem gerar instabilidade articular aumentando seu atrito;

Estresse por uso repetitivo e movimentos realizados de forma inadequada da articulação como o feito por atletas e operários;

Doenças Reumáticas, com inflamação crônica dos tecidos;

Doenças infecciosas articulares, como a osteomielite e a pioartrite, que destroem todos os tecidos da articulação;

Sobrecarga de peso do próprio corpo ou do carregamento de cargas diversas;

Outros fatores como o cigarro e obesidade, que podem levar um quadro inflamatório crônico;

Envelhecimento.

Vale lembrar que fatores genéticos e alterações anatômicas individuais podem fazer com que uma pessoa desenvolva artrose precocemente. Isto é, a cartilagem de suas articulações pode começar a desgastar-se antes do previsto, o que pode ocorrer mesmo que a pessoa não tenha sofrido nenhum tipo de acidente e nem tenha passado por nenhuma situação de estresse nas articulações durante a vida.

5. Sintomas da Artrose

Agora que você sabe o que é artrose, vamos aos seus principais sintomas:

• Dor crônica, subaguda ou aguda, de leve a forte intensidade, nas articulações;
• A intensidade da dor geralmente melhora ao longo do dia;
• Atritos e estalos dos ossos próximos às articulações;
• Rigidez e desconforto no local;
• Restrição de movimentos;
• Deformidade da articulação;
• Inchaço em alguns casos.

Classificacao-de-artrose-da-patela

Diferentes níveis de Artrose PatelarPara atenuar os sintomas e diminuir a velocidade do desgaste do tecido cartilaginoso provocado pela osteoartrose, convém realizar um diagnóstico o quanto antes para que dessa forma possam ser prescritos tratamentos adequados.

6. Diagnóstico da artrose

O diagnóstico da artrose é baseado na história, exame físico e exames complementares. Dentre estes exames estão os seguintes:

• Exame de líquido articular: usado para avaliar doenças infeciosas ou reumáticas
• Exames de sangue (quando necessário para diagnóstico por exclusão de outras doenças): também mais usado em doenças reumáticas e infecções
• Exames de raio-X: exame mais utilizado na artrose. Permite o acompanhamento facilitado e a maioria das classificações da doença são em achados radiográficos.
• Exame de ressonância magnética: permite o diagnóstico precoce e diferencial de outras lesões
• Exame de tomografia computadorizada e USG são menos usados, sendo necessários apenas em indicações específicas.

Radiografia-de-artrose-medial-com-deformidade-em-varo-dos-joelho-melhor-evidenciada-na-imagem-de-Rosemberg

Radiografias do mesmo paciente nas radiografias Frente e Rosemberg

7. Como prevenir a artrose?

Para se prevenir contra a artrose:

• Evite sobrepeso;
• Evite carregar cargas excessivas sem preparo adequado;
• Faça exercícios físicos com orientação profissional;
• Evite trabalhos que requeiram movimentos repetitivos das articulações por longos períodos;
• Fortaleça os músculos para que absorvam os impactos do dia-a-dia e melhorem a função articular;
• Evite treinos ladeiras abaixo e descidas de escadas, pois para os pacientes com artrose no joelho, a sobrecarga é maior nas descidas;

Enfim, cuide do seu corpo e prolongue a sua qualidade de vida.

8. Tratamentos para artrose

• Mudanças no estilo de vida (comentadas anteriormente);
• Fisioterapia: exercícios e terapias analgésicas;
• Medicamentos: analgésicos (dipirona, paracetamol e opioides) e anti-inflamatórios (corticoides, não-hormonais e fitoterápicos);
• Suplementos (Condroitina, Glicosamina, Colágeno tipo 2 (UC2), fitoterápicos (arnica, cúrcuma, etc)): proporcionam redução de alguns sintomas e protegem a cartilagem (condroprotetores);
• Terapia por Ondas de Choque (em casos específicos), como em tendinopatias e edemas ósseos;

Terapia-de-ondas-de-choque-no-joelho

Terapia de ondas de choque no joelho• Infiltrações: injeção de corticoides ou ácido hialurônico no joelho (atenua dor e aumenta mobilidade);
• Cirurgias: operações minimamente ou invasivas, como próteses, osteotomias e artroscopias;
• Reeducação: ensino da movimentação adequada e prevenção;

Pois bem, como visto há muitos tratamentos. Entretanto, uma das frases que os médicos mais gostam de falar é “prevenir é o melhor remédio”. E você pode crer que é sim.

9. Artrose nas articulações:

Joelho (Gonatrose):

As limitações motoras podem ocorrer quando a artrose acomete essa região, pois as articulações dos joelhos são as que servem para sustentação do peso corporal. Dores, limitações dos movimentos, crepitação, também conhecidos como os estalos, estarão presentes no conjunto de sintomas. Por mais que o joelho apresente uma aparência estável em diversas fases da doença, quando o nível mais avançado é atingido, podem aparecer deformidades que causam desalinhamento ósseo.

Quando o tratamento clínico ou minimamente invasivo não é suficiente a ultima linha de tratamento é a artroplastia do joelho (prótese).

Coluna (Espondiloartrose):

Quando a artrose acomete a coluna vertebral, é comum o paciente apresentar dores no pescoço, no dorso e na região lombar. Além dos sintomas dolorosos locais, os pacientes podem desenvolver deformidades da coluna, como a própria “corcunda”, e sintomas à distância, que ocorrem pela compressão de nervos pelas estruturas desgastadas, como discos intervertebrais (hérnia de disco) e os osteófitos, mais conhecidos como “bico de papagaio”. Esses sintomas podem incluir, dores irradiadas pelos braços e pernas, formigamento, perda de sensibilidade até perda de força, em casos mais graves.

Nos casos graves, onde outras terapias falharam ou existe compressão de nervos e da medula, a descompressão com artrodese é o procedimento mais realizado, mas existem avanços na área da artroplastia.

Quadril (Coxartrose):

As dores causadas pela artrose nessa região, ficam concentradas na virilha podendo ocorrer irradiação para o joelho ou nádegas. Muitos pacientes apresentam o movimento da coxa em direção externa, fazendo com que surja uma falsa ideia de encurtamento do membro. Quando o problema atinge os dois lados, é comum que a movimentação fique bastante limitada.

Quando o tratamento clínico ou minimamente invasivo não é suficiente a ultima linha de tratamento é a artroplastia do quadril (prótese). Considerado o procedimento médico do século, com maior índice de bons resultados e satisfação dos doentes.

Mãos:

Na maioria dos casos, as partes afetadas da mão correspondem às articulações que estão localizadas entre a falange média e a distal, onde é possível verificar um abaulamento articular, ou nódulos de Heberden, que são causados pelas curvaturas das articulações. É comum a região assumir um aspecto avermelhado juntamente com inchaço e as limitações motoras serem pouco proeminentes. Outro local comum de artrose na mão é na articulação carpometacárpica do polegar, conhecida como Rizartrose.

A artroplastia com prótese não produz bons resultados nas mãos, sendo mais indicadas cirurgias de partes moles.

Ombro e Cotovelo:

A artrose no ombro é um pouco mais frequente, mas na maioria das vezes pode apresentar sintomas leves ou ser assintomática. Quadros mais graves estão associados à lesão do manguito rotador ou sequelas de traumas. Por não ser uma articulação que suporta o peso corporal a limitação do movimento costuma ser maior que a dor. A artrose no cotovelo é menos frequentes, sendo mais associada à sequela de fraturas e luxações e doenças reumáticas.

Artroplastias podem ser indicadas nos casos mais graves, principalmente na articulação do ombro.

Pé e Tornozelo:

A artrose no pé e tornozelo é frequente, pois estas, são articulações pequenas mas que suportam o peso de todo o corpo. A artrose ocorre com frequência em pacientes diabéticos, atletas de esportes de impacto, sequelas de traumas, doenças reumáticas, hálux valgo (joanete) e calçados inadequados, podem agravar a doença.

Nos casos de artrose do pé e tornozelo, as próteses ainda apresentam resultados ruins e durabilidade baixa, desta forma procedimentos de partes moles e artrodeses ainda são mais utilizadas.

10. Conclusão

A artrose é uma doença multifatorial que pode ser prevenida ou retardada, mas sem cura até o presente momento. Felizmente as opções são muitas, mas a colaboração dos pacientes é fundamental para o bom resultado. O começo e base do tratamento envolve mudanças no estilo de vida e medidas conservadoras como a fisioterapia, analgesia e remédios para o alívio dos sintomas e prevenção da progressão da doença.

Espero que tenha ajudado no entendimento desta doença tão incapacitante, agora se continua com dúvidas ou gostaria de fazer sugestões, escreva nos comentários abaixo.

Para consultas, atendo em São Paulo (Itaim Bibi / Jardins e Higienópolis) e Barueri / Santana de Parnaíba (Alphaville).

11. Referências (em inglês):

–Classificação da Artrose

–Sintomas e casuas da Artrose

–Osteoartrose