BOSWELLIA SERRATA: quais os BENEFÍCIOS e COMO USAR com segurança!

Olá, tudo bem?

Aqui é o doutor Oliver, médico ortopedista, e estou de volta para compartilhar mais informações sobre plantas medicinais e remédios naturais.

Neste artigo, vamos falar sobre a Boswellia serrata, uma planta com propriedades anti-inflamatórias bastante interessantes, especialmente para quem sofre com problemas articulares.

Para escrever esse artigo eu levantei informações importantes sobre a Boswellia serrata e estou colocando a referência dos links dos artigos ao final desse texto.

Hoje, vou explicar tudo sobre a Boswellia serrata: o que é, para que serve, como age no organismo, quais os possíveis efeitos colaterais e as diferentes formas de utilizá-la como suplemento.

Fique comigo nesse artigo que está bem interessante e pode te ajudar bastante. Se você prefere ver na forma de vídeo, esse artigo foi adaptado de um vídeo publicado no meu canal do YouTube.

Então, vamos lá?

O que é a Boswellia serrata

A Boswellia serrata, também conhecida como olíbano, é uma planta nativa da Índia e é conhecida por suas propriedades medicinais. Seu principal princípio ativo, o ácido boswélico, possui ação anti-inflamatória, analgésica e imunomoduladora, o que a torna uma planta útil no tratamento de várias doenças, como artrite, asma e doenças inflamatórias intestinais.

Ela é uma planta da medicina ayrvédica, que passou a ser cada vez mais usada aqui no ocidente, sendo bem conhecida na Europa após estudos comprovando seu efeito anti-inflamatório.

Como a Boswellia age no organismo?

A Boswellia serrata age no organismo, inibindo a produção de mediadores inflamatórios, como as enzimas COX-2 e LOX-5.

Isso é muito interessante, porque tem ação parecida com remédios como o celebra e o arcoxia, não afetando o estômago como os outros anti-inflamatórios convencionais.

Isso resulta em uma diminuição da inflamação e, consequentemente, da dor e do inchaço associados a várias condições, como artrite e artrose.

Quais são os benefícios da Boswellia serrata?

A Boswellia serrata tem diversos benefícios para a saúde.

Pelo seu efeito anti-inflamatório e analgésico é muito útil em dores articulares crônicas como artrite e artrose, e tem estudos mostrando benefícios em doenças inflamatórias intestinais e asma.

Tem alguns estudos mostrando efeito em doenças autoimunes, como artrite reumatoide, lúpus e espondilite anquilosante.

Outra aplicação que está em estudo está relacionada com o câncer, tem alguns trabalhos mostrando que a Boswellia pode diminuir a velocidade de crescimento do tumor e prevenir o aparecimento.

Aqui acho bom reforçar que os estudos com mais evidência são para dores nas articulações e doenças intestinais, os outros usos como doenças autoimunes, asma e câncer, tem ainda pouca evidência e não deve ser usada como forma única de tratamento e prevenção.

Agora que vocês já sabem para que ela serve, vamos falar um pouco sobre os possíveis efeitos colaterais e riscos, e mais para a frente eu explico como ela é usada.

Quais os possíveis riscos e efeitos colaterais da Boswellia serrata

A Boswellia serrata é considerada uma planta segura, mas algumas pessoas podem ter efeitos colaterais como náuseas, diarreia, inchaço e desconforto abdominal, principalmente se consumida em grandes quantidades.

Além disso, é importante ressaltar que mais pesquisas são necessárias para determinar a segurança do uso da Boswellia serrata a longo prazo.

Antes de falar como que usa a Boswellia, se você gosta desse tipo de conteúdo, gostaria de convidar para se inscrever no canal do YouTube e compartilhar com outras pessoas que possam se interessar pelo conteúdo.

Já se inscreveu? Então vamos continuar.

Como a Boswellia serrata é utilizada

A parte que tem o princípio ativo da Boswellia é a seiva, a resina da planta e por ter uma absorção muito ruim, geralmente é indicada o consumo dos extratos da planta.

Assim, Boswellia serrata pode ser encontrada em diferentes formas, como cápsulas, comprimidos, pós e extratos líquidos.

A dosagem recomendada varia de acordo com a forma de apresentação e o objetivo do tratamento, mas geralmente está entre 300 e 500 mg por dia, divididos em duas ou três doses.

Se quiser usar a resina da planta, aí precisa de doses maiores, entre 3 e 5 gramas por dia e de preferência junto com as refeições, porque a gordura melhor a absorção.

Mas será que vale à pena usar essa planta medicinal?

Muitos estudos mostram resultados positivos em relação à sua eficácia no tratamento de problemas articulares e inflamatórios, mas é importante lembrar que ainda há muito a ser explorado sobre os efeitos e mecanismos de ação da planta.

Em um dos artigos que eu coloquei na descrição, comparam o efeito da associação da Boswellia com a cúrcuma longa, com um grupo de pacientes com osteoartrite em uso de celecoxibe, e os resultados encontrados foram melhores no grupo dos fitoterápicos! Olha que coisa bacana!

Aliás, a cúrcuma é outro fitoterápico que ou gosto bastante e tenho um artigo sobre ela também aqui no meu blog!

Eu acho essa medicação uma boa opção pra pessoas com doenças crônicas, que não podem ficar tomando por muitos anos medicações fortes com muitos efeitos colaterais como anti-inflamatórios e corticoides.

Assim, eu costumo deixar esses remédios mais fortes para crises agudas e os fitoterápicos para a fase crônica das doenças, como na artrose.

No entanto, é fundamental consultar um profissional de saúde antes de começar o tratamento com a Boswellia serrata, porque ela pode interagir com outros medicamentos e nem sempre é a melhor opção para todos os casos.

Espero que tenha gostado deste artigo sobre a Boswellia serrata e que as informações tenham sido úteis para você. Se gostou, não se esqueça de se inscrever no canal e compartilhar com seus amigos e familiares.

Um grande abraço e até o próximo artigo!

Artigos:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3309643/

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0944711304701890

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/ptr.6338

https://bmccomplementmedtherapies.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12906-020-02985-6?crsi=6624973112&cicada_org_src=healthwebmagazine.com&cicada_org_mdm=direct

https://www.spandidos-publications.com/mmr/8/5/1542?crsi=662496660&cicada_org_src=healthwebmagazine.com&cicada_org_mdm=direct

https://www.hindawi.com/journals/ecam/2020/7381625/