Bursite no Quadril

A bursa, é uma bolsa de tecido sinovial localizada em pontos onde existe o contato entre um músculo ou tendão com um osso. Sua função é reduzir o atrito entre essas duas superfícies. Bursite é a inflamação da bursa, no caso do quadril, também pode ser chamada de Bursite trocantérica por conta do nome da parte final do osso do fêmur.

Existem dois tipos de bursite no quadril, a isquiática e a trocantérica. A isquiática ocorre mais em pessoas que ficam muito sentadas, fazendo apoio no ísquio, osso na parte de baixo da bacia, onde fazemos apoio ao sentar.

A trocantérica geralmente está relacionada a um atrito do trato/banda iliotibial contra o trocânter maior do fêmur e esta também associada a inflamação e tendinopatia dos glúteos médio e mínimo, quadro conhecido como síndrome trocantérica dolorosa.

O principal fator biomecânico para ocorrer essa síndrome é a fraqueza da musculatura abdutora do quadril (glúteo médio e mínimo) levando a uma ativação aumentada da banda iliotibial.

A bursite é mais comum em mulheres do que homens, sendo 80% dos casos em mulheres com mais de 50 anos, isso ocorre devido à biomecânica do quadril feminino.

Apesar de ter causas desconhecidas alguns fatores podem influenciar em seu aparecimento: contusão na região, permanecer muito tempo deitado sobre quadril, sobrecarga causada por atividade física ou laboral, outras condições como gota ou artrite reumatóide e idade avançada.

Sintomas

O sintoma típico é a dor e sensação de queimação na região lateral do quadril. Essa dor pode irradiar para a coxa e/ou os glúteos. O inchaço também é um sintoma comum dessa inflamação.

A bursite muitas vezes vem acompanhada de uma inflamação em toda a região ao redor, incluindo tendões e os músculos do glúteo.

Essa dor pode ser desencadeada por esforço físico como andar, correr, subir escadas, ou também por permanecer muito tempo deitado em um dos lados do quadril.

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito através de uma avaliação física e análise do histórico do paciente. Exames de imagem, como radiografia, ultrassonografia e ressonância magnética podem ser utilizados para excluir outras enfermidades. Além disso, eles também servem para identificar possíveis lesões associadas como tendinites ou artrose.

Tratamento

O tratamento padrão é clínico e  conservador, o ideal é correção biomecânica com fortalecimento muscular e fisioterapia, gelo ou calor a depender da fase (aguda/crônica) e terapia de ondas de choque.

Quanto a medicamentos, utiliza-se anti-inflamatórios, analgésicos, bem como repouso quando a dor é muito forte.

Caso o tratamento conservador não tenha o resultado esperado, pode ser feito o uso da infiltração (injeção) de corticóides diretamente no local da inflamação. A infiltração é feita em último caso, ou quando o paciente já está com a bursa muito inflamada.

Conclusão

 Se ficou com alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão, ou alguma colocação, escreva abaixo nos comentários. Ficarei feliz em poder lhe ajudar.

Agora se necessita agendar uma consulta, atendo como ortopedista em São Paulo (Itaim Bibi e Higienópolis) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba) e por telemedicina.

REFERÊNCIAS:

-Bursite Trocanterica

-Bursite no Quadril (inglês)