Capsulite Adesiva

A Capsulite Adesiva, chamada popularmente também de “ombro congelado” , é uma síndrome que como o nome sugere causa a redução do movimento do ombro. Ela é mais comum em mulheres na faixa etária de 40 a 60 anos.

Essa condição tem esse nome, pois ocorre na Cápsula Articular, uma estrutura do ombro composta por colágeno, que reveste a articulação dando elasticidade e flexibilidade para sua movimentação.

A sua inflamação e eventual inchaço causa a limitação dos movimentos do ombro, até o momento que a inflamação impossibilita quase toda a movimentação, o chamado “congelamento” do ombro.

Sintomas

Os sintomas envolvem dor no ombro e restrição progressiva dos movimentos que causa o enrijecimento da articulação.

A Capsulite Adesiva possui três fases de progreção da doença. A primeira é a fase inflamatória, quando começa a surgir dor ao se movimentar o ombro, e uma certa limitação de movimentação aparece.

A próxima fase, chamada de fase restritiva ou de “congelamento”, quando a inflamação já chegou ao ponto de limitar quase que totalmente a utilização do ombro afetado.

E por fim, a última fase, que pode ser chamada de “descongelamento”, quando a capsula está desinflamando e há uma lenta e gradual volta dos movimentos do ombro.

Essas três fases juntas, podem demorar de 6 meses a até dois anos para ocorrerem.

Diagnostico

O diagnóstico se dá por exame físico e  também pela utilização dos exames por imagem, principalmente o uso de ressonância magnética, pois este possibilita a exclusão de qualquer outro tipo de doença.

Tratamentos

O tratamento vai variar conforme o estágio da doença em que o paciente se encontra. Inicialmente se trata a dor sentida, isso sendo feito pelo uso de analgésicos, bloqueios do nervo ou injeção de anestésico direto no local.

Terapia por Ondas de Choque (TOC) também vem sendo usada com sucesso para auxiliar na diminuição das dores sentidas por quem sofre de Capsulite Adesiva, diminuindo as dores e melhorando o movimento.

Fisioterapia e outras formas de terapias auxiliares, como a hidroterapia ou acupuntura, são recomendadas para a recuperação dos movimentos. Em alguns casos pode ser realizado o processo cirúrgico por meio da artroscopia.

Conclusão

Caso você esteja sentindo alguma dor ou desconforto ao movimentar o ombro, entre em contato com um ortopedista, pois você pode estar com um problema mais  grave.

Uma avaliação com exame físico complementado por imagens é fundamental para descobrir a causa do problema e poder tratá-lo corretamente .

 Se ficou com alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão, ou alguma colocação, escreva abaixo nos comentários. Ficarei feliz em poder lhe ajudar.

Agora se necessita agendar uma consulta, atendo como ortopedista em São Paulo (Itaim Bibi e Higienópolis) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba) e por telemedicina.

Referências:

Capsulite Adesiva

TOC em doenças do ombro