Compressa quente ou fria e contraste: quando e como utilizar

Neste texto vamos falar sobre o uso da compressa de calor, de gelo e o contraste. Quando usar calor e quando usar frio, é uma dúvida muito comum entre os meus pacientes, tanto de urgência quanto de consultório e também de pós operatório.

De fato é um assunto ainda que um pouco controverso, fizemos um levantamento tanto do que está na internet, quanto o que a própria literatura científica coloca de mais atual.

Nos artigos mais recentes avaliados, da pubmed que é a maior plataforma do mundo de artigos científicos da área da saúde, foi constatado que não existe um consenso absoluto quanto às indicações das compressas de calor ou gelo, mas existem muitos pontos em comum que já estão bem estabelecidos.

Além disso, frequentemente os pacientes acabam realizando a compressa inadequada para aquele caso, apresentando piora dos sintomas. Então se você quer saber de uma vez por todas tudo sobre compressas de gelo ou calor local e contraste, vamos ver de uma vez por todas como e quando usar cada uma dessas técnicas.

EFEITO DAS COMPRESSAS

Então antes de começar a falar quais são todas as indicações de cada um desses tratamentos, seja do calor ou do frio, é fundamental entender como cada um age no nosso organismo e assim conseguirmos entender melhor as condutas.

O calor aumenta o fluxo sanguíneo, promove um aumento do metabolismo celular e relaxamento dos tecidos, levando a uma analgesia na região em que é utilizado.

Já o gelo leva a uma diminuição do tamanho dos vasos sanguíneos, diminuindo o fluxo sanguíneo, a inflamação e o inchaço local, e por consequência possui ação antiinflamatória e anestésica.
Porém, quando o gelo é realizado de forma inadequada, ou seja de forma muito intensa, ele vai queimar a pele e levar a uma lesão dos tecidos, como consequência há uma piora da inflamação.

Posto isso, conseguimos entender melhor a indicação de cada um e vemos que os ambos tipos de compressa seja a com gelo ou calor local tem efeito terapêutico e não só paliativo, elas ajudam no processo de cura e não só nos sintomas.

INDICAÇÕES

Como vimos, o gelo é mais utilizado para traumas e processos inflamatórios agudos, diminuindo principalmente a dor e o edema através do seu efeito anti-inflamatório e anestésico.

Já a compressa quente, é mais utilizada para dores crônicas, rigidez dos tecidos como contraturas musculares e artrose, promovendo o relaxamento dos tecidos, aumento do fluxo sanguíneo e metabolismo, além do seu efeito analgésico.

Agora falando especificamente de cada doença e lesão para qual são indicados cada um dos tipos de compressa temos:

Gelo,  mais indicado para quadros agudos como: bursite, tendinite, entorses de joelho tornozelo e outras articulações, condromalácia, fascite plantar, epicondilite, canelite, flebite, fraturas, luxações, contusões, após cirurgias recentes, hematomas, rupturas e distensões musculares. No caso das cirurgias, o gelo também ajuda a diminuir o sangramento pós-operatório e a formação de hematoma.

Description: C:\Users\Lourenço\Desktop\MKT Digital\Ortopedista em São Paulo\Imagens\Compressa gelo pé.jpg

Calor, mais indicado para quadros crônicos como: artrose, doenças reumáticas, dores miofasciais, como aquelas dores que temos às vezes na coluna dorsal e lombar, torcicolo, e contraturas musculares e também na fase crônica de tendinites

Contraste de quente-frio, indicado na fase sub aguda de traumas promovendo a diminuição do hematoma e edema e recuperação mais rápida do tecido.

Para pacientes com dores crônicas relacionadas aos esforços repetitivos e por desgaste, sejam elas articulares, musculares ou de tendões, tanto o calor local quanto o gelo tem efeito benéfico.

O contraste é recomendado para pessoas, como por exemplo atletas que tem dor relacionada ao esforço repetitivo, como algum tipo de tendinite crônica, pessoas que realizam atividades repetitivas no trabalho.

É ideal que realizem o calor local antes daquele tipo de atividade pois ele vai promover analgesia, aumento do fluxo sanguíneo, relaxamento do tecido e do seu metabolismo diminuindo a incidência ou o agravamento das lesões, é por este motivo que a gente sempre realiza aquecimento antes de atividades físicas.

Agora após estas atividades, é recomendado que a pessoa faça o gelo no local, para que diminua o processo inflamatório desencadeado pelo esforço, mantendo este local com uma menor inflamação.

No caso da artrose, artrites e doenças reumáticas este raciocínio também é válido. Se a pessoa está com aquele joelho ou outra articulação inchada, inflamada, avermelhada e dolorida, o gelo vai ter um efeito melhor.

Agora se a pessoa tem aquela sensação de rigidez articular, que a articulação está seca entre aspas, nestas circunstâncias o calor local vai ter um efeito melhor.

Como fazer as compressas

O primeiro ponto fundamental é o cuidado que devemos ter para não queimar a pele e os outros tecidos abaixo dela, e isso vale tanto para a compressa quente quanto para o gelo.

Portanto, é preciso que exista uma proteção entre a pele e a bolsa quente ou fria e não ultrapassar o período indicado de tempo para a realização de cada sessão da compressa.

Para a realização das compressas de calor, gelo ou contraste podemos utilizar bolsas térmicas específicas vendidas em farmácia ou pela internet, sacos plásticos com gelo ou água quente dentro, e também aquelas bolsas térmicas em gel que permitem resfriar ou aquecer, podendo ser reutilizadas várias vezes.

Description: C:\Users\Lourenço\Desktop\MKT Digital\Ortopedista em São Paulo\Imagens\compressa cotovelo.jpg

As compressas quentes devem ser colocadas diretamente no local da lesão ou dor, e realizadas por períodos de 15 a 30 minutos, de 3 a 4 vezes por dia, lembrando sempre do cuidado com a pele.

Já a compressa fria, também conhecida como crioterapia, é colocada diretamente no local da dor ou lesão e deve ser deixada por no máximo 20 minutos, lembrando sempre de proteger a pele para que não seja machucada pelo frio excessivo.

Esta compressa costuma ser realizada de 3 a 4 vezes por dia, podendo ser realizada até com intervalos de 2 em 2 horas, principalmente após cirurgias recentes e traumas agudos.

Por fim temos o contraste, também conhecido como choque térmico, onde combinamos os efeitos do calor e do frio, auxiliando na diminuição e reabsorção do inchaço e hematoma na fase sub-aguda, ou seja após 4 a 5 dias da lesão.

A sua realização leva a uma ação de diminuição dos vasos sanguíneos seguida de uma dilatação, funcionando como um bombeamento favorecendo a diminuição do edema.

No contraste alternamos as compressas de calor e frio de 2 a 3 minutos cada uma, durante 15 a 20 minutos, terminando sempre com a compressa fria para que mantenha o efeito de diminuição do edema da terapia.

Assim como as outras compressas pode ser realizada de 3 a 4 vezes por dia, reforçando que ela é mais indicada quando queremos diminuir um inchaço persistente após alguns dias.

CONCLUSÃO

Espero poder ter ajudado no entendimento dos tipos de compressas, suas indicações, e como se dá o seu uso correto, para evitar problemas na pele.

Se ficou com alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão, ou alguma colocação, escreva abaixo nos comentários.

Agora, se gostaria de agendar uma consulta, ficarei feliz em poder ajudar, atendo como ortopedista em São Paulo (Itaim Bibi e Higienópolis) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba) e por telemedicina.

REFERÊNCIA:

-Compressa na fisioterapia

Entre em contato