Condromalácia patelar – tratamentos minimamente invasivos

fisioterapia joelho

Ao longo do dia, utilizamos as várias articulações do nosso corpo em diferentes atividades, seja no trabalho ou em momentos de lazer. E uma das junções mais exigidas é o joelho, pois é graças a ele que realizamos movimentos triviais como caminhar, sentar-se e agachar-se.
Com o uso contínuo e o passar do tempo, o joelho pode sofrer com patologias caracterizadas pelo desgaste. Um exemplo é a condromalácia patelar, que consiste em um processo de “amolecimento” da cartilagem da patela, o osso redondo localizado na parte frontal do joelho.
E assim como a maioria das disfunções que acometem o joelho, a condromalácia patelar – também conhecida como condropatia – tem como tendência evoluir gradualmente – especialistas ainda não chegaram à conclusão se há cura em estágio inicial.
Nestes momentos iniciais, por exemplo, são recomendados tratamentos conservadores, como fisioterapia e medicação. Mas e quando o problema começa a se agravar, o que fazer?
Neste artigo, iremos falar exatamente sobre tratamentos minimamente invasivos para casos mais avançados e refratários – ou seja, que não apresentam melhora com alternativas conservadoras.

Tratamentos minimamente invasivos

Imagem De Artroscopia De Lesão De Cartilagem Tratada Com Microfraturas

Imagem De Artroscopia De Lesão De Cartilagem Tratada Com Microfraturas

Depois que estiver ciente das circunstâncias do caso – como sintoma, gravidade e afins – o ortopedista poderá definir o tratamento mais indicado. Como observado no início do artigo, quando o paciente ainda está em um nível mais brando da patologia, a recomendação é de medicação e exercícios fisioterápicos.
Mas quando a condromalácia patelar deixou de ser amena e já começa a entrar em um grau intermediário – ou quando remédios e fisioterapia não surtiram efeito – os tratamentos minimamente invasivos podem ser a melhor opção.
Utilizada para tratar avarias no interior de uma articulação, a artroscopia é um método considerado relativamente simples, seguro, eficaz que pode reduzir radicalmente os sintomas e devolver uma melhor qualidade de vida ao paciente.
No caso da condromalácia patelar, o procedimento busca uma regularização da cartilagem patelar a partir da remoção de fragmentos soltos da cartilagem “amolecida” e da limpeza geral da articulação. Através da artroscopia, o médico pode ainda realizar outros procedimentos.
Por exemplo, o desprendimento de tecidos fibrosos que se encontram demasiadamente tensionados, o que aumenta a eficácia do procedimento; e a técnica de microfraturas, que caracteriza-se por pequenos furos no osso, o que estimula as células-tronco da medula óssea a reverter o “amolecimento” da cartilagem da patela.
Outras formas de tratamentos minimamente invasivos incluem os bloqueios nervosos para dor, como a radiofrequência e a neuromodulação, também conhecia como radiofrequência pulsada. Neste procedimento, realiza-se a modulação e inativação dos nervos responsáveis pela sensibilidade dolorosa da articulação. No caso, a sensibilidade tátil, o equilíbrio e outras sensações são preservadas.

Procedimentos que vem ganhando espaço no tratamento das condropatias incluem os de medicina regenerativa, como a infiltração com células da medula óssea e células mesenquimais do tecido adiposo, que possuem alto potencial de diferenciação em células novas de diferentes tecidos.

Portais Da Artroscopia Do Joelho

Portais da artroscopia do joelho

Conclusões

A condromalácia patelar – ou condropatia – é uma patologia progressiva e irreversível – especialistas ainda não chegaram à conclusão se há cura em estágio inicial – que acomete o joelho, resultando no desgaste da cartilagem da patela, o osso circular localizado na parte frontal da articulação.
Este desgaste consiste no processo de “amolecimento” do tecido patelar, que pode ser desencadeado por diferentes motivos. O principal deles é a alta repetição de movimentos de flexão e extensão, que realizamos em atividades comuns do dia-a-dia, como caminhar, agachar-se e subir e descer escadas.
Ou seja, qualquer um de nós que realiza quaisquer destes movimentos diariamente está sujeito à disfunção. E não é preciso ter nenhuma doença pré-existente para isto! O que existem são outros fatores de risco, como alterações biomecânica e anatômica, sobrepeso e condições genéticas femininas.
Então, é importante estar atento a dores ao redor da patela, inchaço local e sensação de falseamento e estalos no joelho, que são alguns dos sintomas de condropatia patelar.
Caso note algum destes indícios, procure um ortopedista, que irá realizar os devidos exames para descartar ou diagnosticar a doença. Em caso de confirmação, ele poderá detectar em qual grau ela se encontra dentre os quatro e recomendar o melhor tratamento.
Nos quadros intermediários, ou seja, que não são mais leves ou que não tiveram evolução com métodos conservadores (como medicação e fisioterapia), a melhor opção são os tratamentos minimamente invasivos.
Considerada relativamente simples, segura, eficaz e de fácil recuperação, a artroscopia, os bloqueios e as infiltrações regenerativas então entre as técnicas mais usadas atualmente. Devolvendo qualidade de vida aos pacientes portadores de lesões condrais na patela.

Agora, se você gostaria de agendar uma consulta com ortopedista, ficarei feliz em poder ajudar. Atendo em São Paulo (Higienópolis e Itaim Bibi / Jardins) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba). Além disso realizo atendimentos por telemedicina com hora marcada.

Referências (em inglês):
-Condromalácia
-Condromalácia Patelar
-Tratamentos para Condromalácia