Condromalácia no joelho: fisioterapia e tratamentos conservadores

A condromalácia no joelho – também chamada de condropatia patelar – é uma patologia progressiva que pode causar dores severas e outros sintomas em uma das principais articulações do nosso corpo: o joelho. Em movimentos de extensão e flexão – que realizamos durante movimentos triviais como caminhar e subir e descer escadas – a cartilagem da patela, osso da parte frontal do joelho, vai se desgastando, dando início a condromalácia.
Mas, calma, porque mesmo parecendo ser inevitável sofrer com a condromalácia patelar em algum momento da vida, temos uma boa notícia: é possível tratá-la de forma eficaz e segura e sem precisar de cirurgia. Abaixo, vamos entender melhor os tratamentos conservadores que podem melhorar o quadro.dor no joelho

Fisioterapia e tratamentos conservadores

E se o diagnóstico for, realmente, de condromalácia patelar, o passo seguinte é avaliar o quadro do paciente a fim de se definir o tratamento mais adequado. E dentro desta análise, deve se levar em consideração aspectos como possíveis fraquezas musculares e alterações anatômicas/morfológicas, além, é claro, do grau da patologia. Vejamos abaixo:
Grau 1: consiste somente no “amolecimento” da cartilagem e em alguns edemas;
Grau 2: a cartilagem já sofre com pequenas fissuras e fragmentações;
Grau 3: fissuras e fragmentações mais severas;
Grau 4: exposição do osso abaixo da cartilagem.
Para os graus 1 e 2, são recomendados métodos conservadores. Vejamos abaixo as opções disponíveis e os benefícios de cada uma:

-Fisiotetapia: exercícios para fortalecimento e alongamento de músculos específicos da região, como quadríceps; adutores e abdutores; ísquios tibiais; trato iliotibial; e glúteos médio e máximo. Há ainda a liberação miofascial da musculatura, que faz relaxar os pontos de tensão da musculatura provocados por alterações na fáscia; e a evolução da postura e do movimento articular. Porém, é importante que o ortopedista esteja atento à intensidade destes exercícios, sempre começando com um ritmo leve, para, posteriormente, intensificá-lo.

-Pilates: graças a equipamentos como Reformer, Cadillac e Chair, este método tem a vantagem de trazer resultados sem a necessidade de o paciente se apoiar nos joelhos para realizar os exercícios – o que evita tensão sobre a patela e estresse na articulação. Por exemplo, um exercício conhecido como ponte é ótimo para fortalecer os músculos extensores do quadril e da coluna, sem que haja sobrecarga para o joelho.

-Analgesia: recomendado quando o paciente não consegue realizar tais exercícios. Nestes casos, opções como terapia manual, crioterapia, ultrassom e TENS (sigla em inglês para Neuroestimulação Elétrica Transcutânea) ajudam a reduzir a dor e o edema causados pela condromalácia patelar.

-Kinesiotaping: em contato com a pele, estas fitas oferecem estímulos sensoriais que proporcionam alguns benefícios, como diminuir a dor, corrigir desvios articulares e auxiliar na contração muscular.

-Hidroterapia: exercícios na água são importantes para fortalecer a musculatura e ganhar amplitude. Além disto, a temperatura mais alta da água faz relaxar a musculatura, o que reduz a tensão no joelho e, consequentemente, a dor. Este tratamento, todavia, é mais indicado para quem já sofre com muita dor e fraqueza muscular, pois se trata de um método de baixo impacto e com reconhecida eficácia quanto ao fortalecimento muscular, o que ajuda o paciente a ter mais confiança para atividades fora d’água.

exercicio fisioterapia joelho

Conclusões

A condromalácia patelar – ou condropatia patelar – caracteriza-se pelo desgaste progressivo da cartilagem da patela, esse osso de forma circular localizado na parte frontal do joelho. Assim, este tecido passa por um processo de “amolecimento”, o que o faz perder a capacidade de amortecer os impactos aos quais é submetido.
O principal fator de risco que pode desencadear um quadro de condromalácia patelar é a repetição inadequada de movimentos de flexão e extensão do joelho. Ou seja, em diversas situações do nosso dia-a-dia, como caminhar, sentar-se e subir e descer escadas, estamos fazendo progredir este desgaste. Entre outras possíveis causas, estão sobrepeso e prática de esportes de alto nível – isto sem falar que para as mulheres, por questões fisiológicas, o risco é ainda maior.
Já os sintomas são: fortes dores no joelho; ardência; e sensação de que a articulação está inchada, estalando ou falseando. Ao detectar algum destes sinais, é necessário procurar um ortopedista, que irá fazer exames, a fim de confirmar o quadro ou descartá-lo.
Se houver a confirmação, o passo seguinte é avaliar o caso para se definir o tratamento mais adequado. Se o grau da condromalácia for o 1 ou o 2 (são quatro no total), é possível optar por métodos conservadores, como fisioterapia, hidroterapia e pilates.

Agora, se você gostaria de agendar uma consulta com ortopedista, ficarei feliz em poder ajudar. Atendo em São Paulo (Higienópolis e Itaim Bibi / Jardins) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba). Além disso realizo atendimentos por telemedicina com hora marcada.

Referências (em inglês)
-Condropatia
-Condropatia Patelar
-Condromalacia

Entre em contato