paciente com condropatia

Condropatia: O que é e como tratar da forma correta

A condropatia ou condromalácia são termos usados para se referir às doenças decorrentes do desgaste e amolecimento da cartilagem. A condição comumente afeta mais mulheres do que homens e pode acometer pessoas de todas as idades.

Neste artigo adaptado de um vídeo do meu canal, eu explico em detalhes os principais remédios para tratar a condromalácia e qual a forma correta de usar. 

Qual a diferença entre condropatia e condromalácia e quando elas acontecem?

A condromalácia acontece quando há o amolecimento da cartilagem, já a condropatia é a doença da cartilagem. Ambos os conceitos são sinônimos e podem ser usados para se referir a mesma condição. 

As condropatias são divididas em 04 graus. O primeiro deles é justamente o amolecimento da cartilagem, ou seja, a condromalácia. Já do segundo ao quarto grau, existe algum desgaste associado, o que chamamos de condropatia.  

Se a cartilagem não dói, quais as causas da dor da condropatia?

De fato, a cartilagem é uma região em que não há inervação. Portanto, a dor que os pacientes sentem não é na cartilagem. Os principais causadores das dores da condropatia são:

  • Sobrecarga: A sobrecarga no osso subcondral, que é o osso logo abaixo da cartilagem, pode causar dores em acometidos por condropatias. Pacientes com a condropatia grau 4 são os mais afetados, já que o desgaste já chegou ao osso.
  • Disfunção mecânica: Essa causa de dor é muito comum em pacientes que têm um grau leve de condromalácia, já que leva a uma tensão anormal dos tecidos moles em volta da patela.
  • Inflamações: Outra causa de dor é o processo inflamatório no joelho que ocorre pela liberação de pequenos fragmentos de cartilagem, que sensibilizam células de defesa na região e produzem substâncias inflamatórias no líquido sinovial, deixando a articulação inflamada.

paciente com condropatia

O paciente com condropatia pode apresentar sintomas mecânicos, que só aparecem quando ele faz esforço no joelho, ou pode ter sintomas inflamatórios, que são mais contínuos, mesmo no repouso. 

Nessa playlist, você encontra dicas eficazes de medicamentos voltados ao alívio das dores crônicas.

Qual a diferença dos sintomas em condropatia com inflamação ou dor mecânica?

Os pacientes que possuem condropatia com mais inflamação podem sentir sintomas como: calor local, vermelhidão, inchaço e a dor geralmente é mais constante, inclusive no repouso, mas piora pela manhã. 

Já a pessoa com dor mecânica, que comumente está mais relacionada com desgaste, pode sentir que a articulação está travada, rígida e não ficar com tanto calor, inchaço ou vermelhidão. Essa dor costuma piorar ao longo do dia.

Caso o paciente esteja sentindo qualquer sintoma que possa estar associado à inflamação das articulações ou dores mecânicas, é indispensável buscar um ortopedista o quanto antes.

Como é feito o tratamento para a dor?

Independentemente do tipo de lesão e característica da dor, a reabilitação com reequilíbrio muscular, fortalecimento, alongamentos específicos e correção dos movimentos é a base do tratamento das condropatias.

Para determinar qual o melhor tratamento para o paciente, o ortopedista levará em consideração fatores como a intensidade da dor e se é dor com mais características inflamatórias e mais intensa. Neste caso, prescreve-se anti-inflamatórios com corticoide (como diprospan ou decadron) ou anti-inflamatório não esteroidal (diclofenaco, cetoprofeno, meloxicam), assim como analgésicos leves (dipirona, paracetamol) ou fortes (codeína ou tramadol).

Além disso, as compressas de calor e frio também pode ajudar no alívio da dor. Caso você queira saber como fazê-las, assista esse vídeo que eu ensino.

Para dores inflamatórias menos intensas, podem ser passados anti-inflamatórios tópicos, como pomada, creme, gel ou emplastro.

Fitoterápicos como arnica e harpagophytum (“garra do diabo”) também são úteis para ajudar no alívio da dor leve.  

Leia também:

Dores crônicas: Principais medicamentos para o controle da dor: Condropatia: O que é e como tratar da forma correta
Tipos de remédios usados para dor aguda : Condropatia: O que é e como tratar da forma correta

Quais são os medicamentos para condropatia para uso sintomático e preventivo?

O uso de medicações na prevenção da condropatia não é útil, já que os remédios oferecerem um cuidado paliativo e podem oferecer risco de efeitos colaterais, como os anti-inflamatórios, além da dependência, como no caso dos opioides.

Para a prevenção das dores da condropatia, recomenda-se medicamentos de uso contínuo, como os condroprotetores, que protegem a cartilagem e desaceleram o desgaste da articulação, assim como os anti-artrósicos.

O medicamento com melhores resultados é o colágeno não hidrolisado do tipo 2, também conhecido como UC2. Já a diacereína tem bons efeitos também em pacientes com condropatias, mas que ainda não apresentam artrose.

Um dos efeitos colaterais da diacereína para alguns pacientes é o desconforto intestinal, podendo contar com gases, intestino solto ou cólicas.

A curcumina é uma substância antioxidante e com bom efeito anti-inflamatório para pacientes que sofrem com dores da condropatia, assim como a arnica, que alivia as inflamações e dores.

Medicações injetáveis podem ajudar a aliviar as dores da condropatia?

Sim! As infiltrações também têm um papel essencial no tratamento da condropatia. Os dois tipos principais de medicações injetáveis são a infiltração articular com corticoide e a com ácido hialurônico. 

A infiltração com corticoide atua na redução da dor e da inflamação. No entanto, o excesso de corticoide apresenta risco para a cartilagem e só recomenda-se para pacientes que tenham artrose mais avançada.

Para pacientes que tem apenas condropatia, a infiltração com ácido hialurônico é a mais recomendada, já que melhora a nutrição e lubrificação da articulação, diminuindo o atrito e assim, diminuindo a dor e inflamação. A durabilidade do efeito é maior do que a da infiltração com corticoide.

Outras terapias alternativas

Pacientes que apresentem condropatia em fase inicial podem receber prescrição apenas de sessões de fisioterapia e medicamentos para dor e inflamação, que costumam ser suficientes no tratamento.

O fortalecimento muscular e perda de gordura também são importantes para ajudar o músculo a estabilizar as articulações e diminuir o impacto e a sobrecarga. A gordura também é prejudicial, já que produz substâncias inflamatórias pelo corpo que afetam as articulações.  

A condropatia é uma condição que pode afetar significativamente a qualidade de vida de quem sofre com ela. Felizmente, com os tratamentos corretos e um cuidado adequado, é possível gerenciar seus sintomas de forma eficaz. Portanto, o uso de medicamentos e as demais terapias são fundamentais nesse processo.

Se você ou alguém que conhece está lidando com os desafios da condropatia, não deixe de buscar ajuda profissional. Para mais informações detalhadas sobre os tratamentos e dicas para essas e outras condições ortopédicas, acompanhe o meu canal no YouTube. Lá, eu aprofundo ainda mais nos métodos eficazes para lidar com essa condição e outras condições.

Caso você sinta dores persistentes causadas pela condropatia ou ainda não tenha conseguido um diagnóstico adequado, não hesite em marcar uma consulta comigo!