Cúrcuma longa e Curcumina (açafrão-da-terra) para que serve, quais benefícios e riscos

Olá, tudo bem? você sabia que a cúrcuma tem muitos efeitos benéficos e terapêuticos para o nosso organismo?

Sim, é a cúrcuma que é usada para tempero que eu estou falando. Se você quer saber mais sobre ela, fica aqui comigo nesse artigo e presta atenção que tem muitos benefícios, mas também tem seus riscos.

Então vamos lá?

Se preferir ver na forma de vídeo, este é um texto adaptado de um vídeo publicado no meu canal do YouTube:

A primeira coisa que precisamos deixar claro e diferenciar é:

O que é a cúrcuma longa

Muita gente confunde a cúrcuma longa com o açafrão que é usado na paella e outros pratos mediterrâneos. O açafrão também possui efeitos benéficos, mas é outra coisa.

Esse é o estigma de uma flor chamada Crocus sativus, já a cúrcuma longa é uma raiz da família do gengibre.

A cúrcuma é também chamada de açafrão da terra ou gengibre amarelo. A cúrcuma é aquela que é usada no curry nos pratos asiáticos.

Bom, agora que você sabe a diferença, vamos entender de onde vem seus efeitos.

Para que serve a Cúrcuma longa?

A cúrcuma longa tem efeitos antioxidante, antimicrobiano, anti-inflamatório e modulador da imunidade, assim como melhora a dor da artrite e artrose. Isso ocorre por causa de uma substância chamada curcumina, é ela que tem todos esses efeitos.

A curcumina é um curcuminóide, substância que representa por volta de 3% da cúrcuma longa. Infelizmente possui baixa absorção, mas calma, mais a frente eu vou dar uma solução para isso.

Então, continuando sobre os efeitos da cúrcuma e da curcumina.

Tem muito trabalho na literatura a respeito delas, milhares, sem exagero.

Tem gente que acha que só porque é fitoterápico não funciona, mas não esqueçam que a aspirina, a morfina e tantas outras medicações foram extraídas de plantas.

A gente tem aqui no Brasil, cientistas sérios com anos de pesquisa na área.

Um desses estudos laboratoriais mostrou que a curcumina tem efeito antimutagênico, ou seja, previne o câncer, além disso em testes laboratoriais mostrou-se também que ela inibe a vascularização do tumor e induz apoptose também conhecida como morte celular, ajudando a controlar alguns tipos de câncer.

Isso não é nada de outro mundo, o licopeno, presente no tomate já se mostrou como protetor contra o câncer de próstata.

Mas calma gente, ninguém aqui está falando que a cúrcuma cura o câncer e para tomar só isso se você estiver doente. Ela tem efeito preventivo que ainda está em pesquisa.

Eu particularmente, como ortopedista, uso mais a cúrcuma longa ou curcumina pelo seu efeito anti-inflamatório, que ajuda nos sintomas de artrite e artrose e outras dores crônicas, porque é complicado ficar usando de forma contínua anti-inflamatórios não esteroidais como o diclofenaco ou o Profenid.

A cúrcuma também tem efeito antioxidante diminuindo o envelhecimento celular e risco de câncer, como eu falei anteriormente.

Continuando com seus efeitos benéficos, ela também promove a vasodilatação e diminui a oxidação do LDL, o colesterol ruim, tendo um efeito protetor nos vasos sanguíneos e coração.

Olha, eu prescrevo bastante a cúrcuma, mas tenho uma crítica. Ela tem se tornado como uma panaceia para algumas pessoas, ou seja, é um remédio que as pessoas têm falado que serve para tudo. Na medicina as coisas não funcionam bem assim.

E como eu vou falar adiante, ela também tem seus riscos.

Um estudo publicado pela faculdade da USP de Ribeirão Preto, que avalia os efeitos da curcumina, foi constatado em que doses muito altas ela possui efeito mutagênico ou seja pode induzir à formação de câncer. Ou seja, se a pessoa consome uma dosagem muito alta, o efeito pode ser contrário ao desejado.

Então, acertar a dosagem é fundamental quando se usa a cúrcuma.

Primeiro eu vou continuar falando dos outros riscos e cuidados no usa cúrcuma e depois eu falo como é sugerido o uso.

A cúrcuma é uma planta que possui compostos de oxalato. O problema disso é que ele se liga a outros sais minerais aumentando a formação de pedras nos rins, para quem tem fator de risco, e diminui a absorção minerais da alimentação.

Para contornar isso, o ideal é consumir em horário diferentes das refeições e tomar bastante água ao longo do dia, principalmente quem tem predisposição as pedras nos rins.

Para quem tem diabetes ou alergia ao glúten também precisa tomar cuidado, pois é comum a adição de farinha para fazer volume.

Alguns produtos em pó também têm corantes que são tóxicos e alergênicos, por isso é fundamental verificar fornecedores.

Bom lá no começo do artigo, eu falei que a cúrcuma longa ou a curcumina, tem uma absorção ruim, mas existe uma solução para isso, a piperina.

A piperina é uma substância que é extraída da pimenta preta que auxilia a absorção da curcumina pelo intestino. Assim, eu gosto de associar as duas.

Como que se usa a cúrcuma?

Você pode usar a cúrcuma em pó ou manipulada. Na formulação em pó da cúrcuma, como o tempero, algumas doses sugeridas variam de 500mg até 5g por dia, ou uma colher de chá.

Eu particularmente, que uso medicações associadas, como a arnica, UC 2 e outras, costumo prescrever uma dosagem menor, inclusive eu tenho uma playlist sobre esses remédios lá no meu canal do YouTube.

Quando se usa só a cúrcuma, a dose usual indicada é de 500 miligramas de cúrcuma longa, mas 10 miligramas de piperina para melhorar a absorção da curcumina.

Na prática eu uso esses remédios fitoterápicos para doenças, crônicas, mas é claro, não deixo de usar remédios mais fortes para quadros agudos de dor.

Agora que vocês já sabem tudo sobre a cúrcuma e a curcumina, não deixem de seguir meu canal para acompanhar meus próximos vídeos no assunto, tanto sobre medicamentos quanto sobre ortopedia geral e cuidados do corpo.

Espero que tenha gostado do artigo. Se sim, convido mais uma vez para se inscrever no meu canal e se você tem artrose e precisa de acompanhamento, faço atendimentos em São Paulo e Alphaville (Barueri), assim como por telemedicina.

Agende sua consulta! Grande abraço e até breve