Dor na mão e punho: Saiba as principais causas

índice ocultar
1. Dor na mão e punho: Saiba as principais causas

Muitas vezes, ouve-se falar bastante sobre tendinite e artrose afetando mãos e punhos, mas é crucial reconhecer que existem diversas outras causas que podem resultar neste desconforto articular. Se você busca entender a origem da sua dor, este artigo é para você!

Sobretudo se você está se sentindo frustrado, pois essa dor persiste apesar do uso de medicamentos, impactando negativamente em sua capacidade de trabalhar, treinar, dormir e até mesmo na realização de tarefas simples, como abrir um pote ou digitar no celular, continue lendo.

Neste artigo, vou explicar sobre as principais causas de dor na mão e punho e como tratá-las, inclusive algumas doenças menos frequentes, mas que podem ser muito graves.

Mas então, por que o formigamento nas mãos acontece?

O formigamento e a dor nas mãos ocorrem quando há a compressão do nervo mediano na região do punho.

Na imagem abaixo, pode-se observar o nervo mediano em rosa. O túnel do carpo é esse espaço onde passa o nervo e os tendões flexores dos dedos, que é limitado pelo ligamento transverso do carpo, esse em verde.

Síndrome do túnel do carpo e formigamento das mãos

A compressão acontece quando essas estruturas aumentam de tamanho dentro do túnel do carpo e a causa pode ser tendinite crônica ou algum cisto sinovial, por exemplo. Existem também casos que podem acontecer durante a gestação ou em pacientes com diabetes.

Síndrome do Túnel do Carpo

Pacientes com síndrome do túnel do carpo costumam queixar-se de dor e formigamento na parte da mão destacada na imagem abaixo, além de correr o risco de apresentar atrofia dos músculos do polegar (seta amarela).

Como é o diagnóstico para a síndrome do túnel do carpo?

Para o diagnóstico da síndrome do túnel do carpo, o médico ortopedista avaliará inicialmente os sintomas do paciente, além de realizar alguns testes clínicos como o de Phalen ou Phalen invertido, por 30 a 60 segundos.

Além disso, também se indica ao paciente um ultrassom como exame complementar, para observar o tamanho do nervo e se tem alguma coisa comprimindo-o, como um cisto ou tumor. Recomenda-se também a eletroneuromiografia para avaliar a função do nervo.

Como é feito o tratamento para a síndrome do túnel do carpo?

O tratamento da síndrome do túnel do carpo ocorre de forma conservadora, através da imobilização, medicações para a neuropatia e terapia ocupacional, até infiltrações e cirurgias.

Como a dor costuma piorar a noite, é indicado usar uma tala neste horário para diminuir os esforços físicos e repetitivos e ajudar a aliviar os sintomas.

A cirurgia para síndrome do túnel do carpo é relativamente simples, faz-se um corte pequeno no punho e em seguida, com cuidado corta-se o ligamento transverso, sem machucar outras estruturas. Geralmente, tanto o procedimento cirúrgico quanto a recuperação são muito rápidas.

Tenossinovite de De Quervain

A tenossinovite de De Quervain é um tipo de tendinite que afeta o punho, uma das causas frequentes é o uso excessivo do celular. Essa condição tem aumentado cada vez mais entre os pacientes.

Nesta condição, dois tendões responsáveis pela extensão do polegar são comprimidos por um ligamento que os atravessa, similarmente ao que ocorre na síndrome do túnel do carpo. Contudo, enquanto nesta última a compressão afeta um nervo, na tenossinovite de De Quervain o desconforto origina-se nos tendões.

tenossinovite de De Quervain
Em verde, região afetada pela tenossinovite de De Quervain

Como é tratada a tenossinovite de De Quervain?

Primeiramente, o diagnóstico é feito a partir de testes como o teste de Filkenstein, em que a dor piora quando o paciente fecha a mão com o polegar para dentro e força o punho para baixo.

Assim, como o túnel do carpo, a tenossinovite de De Quervain pode ser tratada com imobilização, terapia ocupacional, remédios, até infiltrações e cirurgias.

Em que tendão ocorre a condição?

Teoricamente em qualquer tendão é possível aparecer uma tendinite, pois possuímos muitos tendões no punho e nas mãos.

De forma geral, as dores das tendinites costumam irradiar no trajeto do tendão machucado. Assim, é normal algumas dores irem para os dedos ou para o antebraço e cotovelo.

A tendinite geralmente está associada a pacientes que realizam movimentos repetitivos ou inadequados, não envolvendo nenhum tipo de trauma. A dor tende a intensificar-se com o aumento dos movimentos ou esforços na região do tendão.

Quais são os sintomas da Tenossinovite de De Quervain?

Os sintomas da Tenossinovite de De Quervain podem ser:

  • Inchaço;
  • Fraqueza;
  • Vermelhidão;
  • Rigidez;
  • Sensibilidade;
  • Rangidos e estalos.

Muito se fala em tendões, então vamos seguir explicando outras condições que os afetam, como o dedo em gatilho.

Dedo em Gatilho

O dedo em gatilho é uma doença que causa um travamento do dedo, quando se fecha ativamente a mão. Isso acontece geralmente por causa de um nódulo no tendão dos músculos flexores dos dedos que trava na polia A1.

Para entender melhor o que acontece, imagine que estes tendões funcionam como a linha de uma vara de pescar. Os tendões passam por polias (em verde na imagem abaixo), igual a linha que passa pelos anéis da vara.

Quando um nódulo se forma nos tendões, eles podem travar na polia, da mesma forma que uma linha de vara de pescar pode embaraçar quando há um nó nela.

Muitas vezes, é possível sentir o nódulo na palma da mão e alguns pacientes não sentem tanta dor. No entanto, o travamento pode chegar ao ponto de bloquear o dedo e impedir ele de esticar novamente.

O tratamento conservador do dedo em gatilho pode ser feito quando a condição está em seu estágio inicial. Mas caso o dedo esteja muito travado, é necessário cirurgia, que consiste em cortar a polia onde ele trava, já que é difícil retirar esse nódulo do tendão.

A moléstia de Dupuytren, causa também de desconforto nas mãos, é uma condição que é frequentemente confundida com o dedo em gatilho.

Moléstia de Dupuytren

A Moléstia de Dupuytren é uma doença onde ocorre uma proliferação de um tecido fibroso, esse tecido forma um cordão que vai deixando o dedo flexionado permanentemente. Embora a lesão nem sempre resulte em dor imediata, sua gravidade reside na significativa restrição de movimento e na possibilidade de desenvolvimento de deformidades nos dedos.

A moléstia de Dupuytren é muito mais comum em homens, perto dos 60 a 70 anos, de origem do norte da Europa, e tem relação com o consumo de álcool, mas pode aparecer em pacientes com outras características.

A condição é comumente confundida com o dedo em gatilho, já que em ambas as situações o dedo pode permanecer completamente flexionado. No entanto, as causas e os tratamentos para cada problema são distintos.

Por exemplo, as cirurgias para a contratura de Dupuytren são mais complexas que a do dedo em gatilho. Além disso, a doença pode tornar a aparecer, piorar com o tempo e afetar vários dedos.

Artrose nos dedos sem reumatismo

A artrose nos dedos, que ocorre sem reumatismo, é uma condição prevalente que afeta as articulações nas extremidades dos dedos. Esta condição é especialmente comum em mulheres acima dos 60 anos, e observações indicam que pode haver uma influência tanto genética quanto de esforços repetitivos nestes casos.

Nesse tipo de artrose, é comum ver nódulos e é possível observar algum tipo de deformidade, como a representação da imagem clínica e radiográfica abaixo.

No tratamento da artrose nos dedos sem reumatismo são prescritos medicamentos condroprotetores e anti-inflamatórios fitoterápicos. É raro indicar cirurgia, mas quando se faz, geralmente é a técnica utilizada é a artrodese, onde se retira a articulação doente e junta as duas falanges.

Rizartrose

A rizartrose é caracterizada por ser uma artrose na base do polegar, localizada entre o primeiro metacarpo e o trapézio. Na imagem abaixo, representada pela cor verde, é possível entender melhor onde a rizartrose se apresenta.

Nas imagens de radiografia abaixo, é possível comparar um raio-X normal da articulação e um afetado pela rizartrose, para comparação.

Como é feito o diagnóstico e tratamento para a rizartrose?

É comum confundir a rizartrose com tenossinovite de De Quervain. No entanto, com a realização de testes específicos e exames de imagem, como raio-X, ultrassom e ressonância magnética, é possível diferenciar com maior precisão entre as duas condições.

Em alguns pacientes, ainda não existe artrose, mas pode apresentar uma frouxidão ligamentar, causando dores.

O tratamento conservador é uma opção viável, envolvendo imobilização, medicação e terapia ocupacional. No entanto, para alguns pacientes, a cirurgia pode ser necessária. Nesses casos, várias alternativas cirúrgicas são consideradas, evitando preferencialmente a artrodese, ou fusão dos ossos, para preservar a mobilidade do polegar.

Artrose no punho

A artrose do punho geralmente é resultado de condições preexistentes, como fraturas, lesões ligamentares, osteonecrose dos ossos do carpo ou outros traumas repetitivos, diferentemente de outras formas de artrose que podem surgir sem uma razão clara.

Abaixo, é possível ver uma representação de onde ocorre a artrose no punho, em verde. A artrose pode se apresentar entre o rádio e ulna até os ossos do carpo, que são ossos pequenos na mão.

Assim como os outros tipos de artrose, é possível realizar o tratamento conservador. Caso o paciente não apresente melhora, é possível receber indicação para a cirurgia, que vai desde a retirada de parte desses ossos, até a fusão deles, por meio da artrodese. Infelizmente, as próteses para todos esses tipos de artrose ainda não são tão boas, como as do quadril e joelho.

Artrite reumatoide e a gota

Outras condições que podem acarretar dores no punho e na mão podem ser a artrite reumatoide e a gota.

Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune que costuma afetar em sua maioria mulheres de meia idade e a mão é um dos lugares mais comum para começar a doer. A condição é autoimune, ou seja, condição em que as células de defesa do corpo atacam outras partes do mesmo indivíduo.

Gota

A gota é uma condição bem mais comum em homens mais jovens e acontece pelo acúmulo de cristais de ácido úrico. É mais comum ver a gota nos pés, mas pode também acontecer nas mãos e outras articulações. Uma observação importante é que quando o paciente está com crise de gota, é comum confundir com infecções.

Tanto a artrite reumatoide quanto a gota podem causar deformidades e artrose nas articulações. No entanto, a última pode formar tumores que são os tofos gotosos, já a artrite reumatoide geralmente deixa os dedos tortos nas articulações da base e nos punhos.

Veja abaixo a comparação entre uma mão com artrose primária, uma com gota avançada e uma com artrite reumatoide avançada.

paciente com artrite primária na mão
Paciente com artrite primária

Paciente com Gota nas mãos
Paciente com Gota

Mão com artrite reumatoide avançada
Mão com artrite reumatoide avançada

Os casos acima ocorrem quando as doenças não são tratadas corretamente. Portanto, é importante que o paciente não deixe chegar a esse ponto para procurar ajuda.

Se o tratamento for realizado corretamente desde o início, pode ser possível evitar a cirurgia e manter um acompanhamento clínico com o reumatologista ao longo da vida.

No entanto, ao chegar em um estágio avançado, é necessário intervenção cirúrgica.

Cisto Sinovial

O cisto sinovial é a principal causa de nódulo nas mãos e nos punhos. Caracteriza-se a condição pelo surgimento de uma bolinha com líquido que vem da articulação ou da bainha dos tendões.

cisto sinovial

O cisto sinovial costuma aparecer em um ponto de fragilidade da cápsula articular e bainha dos tendões, podendo ser assintomático, estourar ou sumir sozinho ou aparecer de novo, se for aspirado ou retirado com cirurgia.

A aspiração é o tratamento ideal para o cisto sinovial?

Não, a aspiração geralmente não resolve o problema do cisto sinovial. Em mais de 90% dos casos, o cisto pode voltar depois. Por isso, evitar mexer é o ideal, mas se não sumir, estiver doendo e limitando, pode ser o caso de retirar com cirurgia.

A dificuldade da cirurgia varia de acordo com a localização do cisto. Caso ele esteja próximo a tendões, vasos sanguíneos ou nervos, pode ser mais complexa. No entanto, na maioria dos casos, realiza-se a remoção de maneira tranquila.

Em meu consultório, eu já atendi um paciente que estava com síndrome do túnel do carpo por causa de um cisto sinovial. Nesse caso, precisava retirar, se não ele poderia ficar muito tempo com a compressão do nervo.

Sendo assim, é indispensável buscar ajuda de um ortopedista ao notar o aparecimento do cisto sinovial para que ele possa realizar o melhor acompanhamento.

Fibrocartilagem triangular

A fibrocartilagem triangular é um complexo de cartilagem fibrosa, parecida com um menisco e ligamentos que dão estabilidade na parte do punho. Ela tem uma forma triangular e fica na ponta do osso da ulna.

Assim, é possível sofrer degeneração ou também romper com algum trauma ou torção do punho na fibrocartilagem triangular. Na maior parte das vezes, pode-se tratar sem cirurgia, mas eventualmente indica-se uma cirurgia aberta ou ainda por artroscopia.

Pseudoartrose do escafoide

Pseudoartrose é o termo médico para descrever uma fratura que não colou, já o escafoide é um osso que fica perto da base do polegar, próximo ao punho.

A fratura do escafoide pode não ser detectada nas primeiras duas semanas após o trauma, resultando em diagnósticos equivocados em visitas iniciais ao pronto-socorro. Após o exame de raio-X, é comum que o médico não identifique a lesão e, consequentemente, o paciente seja liberado sem o tratamento adequado.

Em alguns casos, a dor e a limitação apresentam uma melhora porque diminui a inflamação inicial e voltam a piorar depois, pois o osso não colou. Isso porque a circulação do escafoide é bem ruim, então as vezes, mesmo tratando direito com imobilização, a consolidação não acontece.

A falta de tratamento para a pseudoartrose do escafoide pode levar à artrose do punho.

Em alguns casos pode usar o tratamento com ondas de choque para estimular a consolidação e melhora da circulação local. Em alguns casos, somente a intervenção cirúrgica soluciona, nesse procedimento, costuma-se colocar enxerto e fixar com parafusos ou fios metálicos.

Causas de dor mais preocupantes nas mãos e nos punhos

Doença de Reynaud

O fenômeno de Reynaud é uma condição preocupante que atinge as mãos, isso porque o paciente acometido pode perder os dedos se não fizer o tratamento adequado. A imagem abaixo representa como os dedos ficam sem circulação:

A doença de Reynaud ocorre quando o paciente é exposto ao frio intenso, levando à forte contração das artérias que fornecem sangue às extremidades, como as pontas dos dedos, orelhas e nariz. Como resultado, essas áreas podem sofrer de falta de circulação sanguínea, o que pode eventualmente causar necrose dos tecidos.

Esse fenômeno é comum em pessoas com doenças autoimunes como a Artrite Reumatoide e o Lúpus Eritematoso Sistêmico.

Infelizmente, não existe um tratamento que leva a cura do fenômeno de Reynaud. Sendo assim, para evitar esta condição, o ideal é tomar cuidado com o frio e, quando acontecer, procurar esquentar a região o mais rápido possível.

Osteonecrose

A osteonecrose é também uma condição relacionada a necrose. Ela ocorre quando há o infarto do osso, levando à morte dele. Os dois ossos que mais necrosam no punho são o semilunar e o escafoide.

Semilunar (seta amarela) e o escafoide (seta vermelha).

Necrose do semilunar (Moléstia de Kienböch) e do escafoide (Preisier)

A necrose do escafoide está relacionada com fraturas, já a do semilunar está relacionada a atividades de impacto e vibração intensa no punho, como quem trabalha com britadeira de asfalto, por exemplo.

O raio-X abaixo pertence a uma paciente que atendi durante a residência, que apresentava muita dor no punho e realizada atividade manual repetitiva, além de apresentar um diagnóstico de tendinite. No entanto, ela havia realizado apenas um ultrassom que não indicava tendinite, então decidi que era prudente realizar um raio-X adicional. Ao analisar os resultados, descobrimos algo surpreendente: a presença de necrose no osso semilunar.

O diagnóstico da necrose do semilunar e do escafoide é possível com raio-X. No entanto, em alguns casos, a ressonância ou tomografia são necessárias para identificar a condição.

Bom, e como tratar a necrose do semilunar e do escafoide?

A abordagem terapêutica para esta condição varia de acordo com o estágio da doença, abrangendo desde métodos conservadores, como a imobilização, até intervenções cirúrgicas, que podem incluir a remoção de partes dos ossos do punho ou a fusão deles, conhecida como artrodese.

O uso do tratamento com ondas de choque focal é uma opção para estimular a revascularização, assim como no caso da pseudoartrose do escafoide.

Caso você queira saber mais sobre como funciona o tratamento com ondas de choque para condições ortopédicas, acesse o meu canal no YouTube. Lá, eu explico detalhadamente sobre como este tratamento pode te ajudar!

Infecções e tumores como causas de dor nas mãos e punhos

As infecções e os tumores são as condições mais perigosas relacionadas a dor na mão e no punho. Isso porque, em alguns casos, o paciente pode chegar à perda da mão.

Tumores na mão

No caso da mão, é relativamente comum encontrar alguns tumores. Entre as definições, as duas mais frequentes são:

Avaliação clínica

Essa definição, de avaliação clínica, define o tumor como qualquer massa fora da anatomia normal.

Crescimento anormal

Essa definição descreve que o tumor é um crescimento anormal de células do corpo.

Seguindo a primeira definição é possível incluir o cisto sinovial e o tofo gotoso entre tumores nas mãos. Mas se seguir a segunda, essas lesões não se encaixam como um tumor.

Não se pode negligenciar os tumores nos ossos, partes moles e pele. Existe uma quantidade enorme de possível tumores benignos e malignos nas mãos. Destes, os tumores ósseos mais comuns nessa região são:

  • O encondroma;
  • Osteocondroma;
  • O tumor de células gigantes, ou TGC;
  • O cisto ósseo aneurismático.

Todas essas lesões são benignas, mas as duas últimas são agressivas, mesmo não sendo um tumor maligno.

Metástases na mão

A mão também pode apresentar metástases originárias de tumores de outras regiões do corpo, sendo o câncer de pulmão a fonte mais comum. Embora possam ocorrer outros tipos de tumores malignos nas mãos, eles são significativamente mais raros em comparação com outras partes do corpo.

Nos tecidos moles, como músculos, tendões e subcutâneo é possível encontrar:

  • O lipoma;
  • O TGC de bainha tendinosa;
  • O fibroma;
  • Sarcomas.

Os primeiros três são benignos e o último, maligno.

Já na pele, os principais tumores são verrugas por HPV, fibromas benignos e tumores malignos espinocelular, basocelular e o melanoma.

Geralmente os tumores malignos não são bem delimitados como os benignos, eles costumam ter uma forma irregular, infiltram e ficam aderidos nos tecidos ao lado e podem ter necrose e inflamação ao redor, muitas vezes pode ser confundindo com infecções. Isso vale para qualquer uma das regiões da mão ou punho.

Na imagem abaixo, é possível observar a diferença de um tumor benigno e maligno:

diferença entre um tomor benigno e maligno

Abaixo, o diagrama mostra a diferença de cada tipo de lesão óssea:

diferentes tipos de lesão óssea
Fonte: Radiopaedia

É necessário procurar um médico especialista para avaliar os sintomas. Quanto mais precoce o diagnóstico, melhor o resultado do tratamento.

Infecções da mão

Por vezes, pode-se confundir as infecções que atingem a mão com tumores. Então, as principais infecções são:

  • Lesões no osso (osteomielite),
  • Lesões na articulação (pioartrite);
  • Lesões nos tendões (tenossinovite infecciosa);
  • Infecções na pele (celulite ou erisipela).

De uma forma geral, quando o paciente apresenta infecção, a região costuma ficar vermelha, quente, inchada e com dor, ou seja, inflamada e até formar abcessos com pus. É comum também apresentar limitação do movimento, principalmente na tenossinovite e na pioartrite.

Além disso, a pessoa pode ter sintomas sistêmicos, com:

  • Febre;
  • Calafrios;
  • Mal-estar;
  • Perda de apetite.

Isso sugere que o problema já está mais grave. Neste caso, exames de sangue e de imagem costumam mostrar a infecção.

Como ocorre a infecção na mão?

É raro acontecer infecção na mão espontaneamente, geralmente acontece depois de algum ferimento com contaminação, como, picadas de inseto, mordidas e arranhaduras de animais ou até quando o paciente faz a unha de forma errada.

Nesses casos, é fundamental procurar um médico, pois é necessário drenar o pus se existir abcesso e tomar antibióticos, para que a infecção não dissemine pelo braço e o sangue indo por todo o corpo.

Abaixo, é possível ver uma imagem de osteomielite na cabeça do metatarso, observe como a infecção vai “corroendo” o osso.

Nessa outra imagem, é possível ver a infecção no dedo, afetando o tendão.

Este artigo visa esclarecer que os sintomas como a dor no punho e na mão não estão atrelados somente a tendinite e a artrose na mão, como muitas pessoas acham. Na realidade, eles podem estar relacionados também a tumores, infecções e diversas outras condições.

Portanto, caso você apresente sintomas persistentes na mão e punho, não hesite em buscar ajuda profissional o mais rápido possível. Se estiver buscando um ortopedista, eu sou o Dr. Oliver Ulson e posso te ajudar!

No meu canal no YouTube, eu informo mais sobre condições relacionadas a Ortopedia e busco tirar todas as dúvidas dos meus pacientes.