Entenda quais os melhores anti-inflamatórios naturais

Você sabia que a aspirina e a morfina são medicamentos originários de plantas? Isso mesmo! A aspirina, conhecida cientificamente como ácido acetilsalicílico, foi o primeiro medicamento sintetizado a partir de um extrato natural. 

Este extrato vinha da casca do salgueiro, uma prática que remonta às antigas tradições medicinais. Já a morfina é produzida naturalmente pela papoula. 

Em 2016, segundo dois autores do instituto nacional de Câncer dos Estados Unidos, aproximadamente 63% dos remédios usados para o tratamento do câncer eram derivados de alguma forma de produtos naturais. 

Neste artigo, baseado no meu vídeo do YouTube, eu explico tudo sobre os medicamentos anti-inflamatórios naturais mais indicados para cada condição. Continue lendo!

medicamentos anti-inflamatporios naturais para dores

Para mais informações a respeito da dosagem, forma de administração, riscos e efeitos colaterais dos medicamentos mencionados acesse o meu canal no YouTube. Lá, eu posto vídeos informando detalhadamente sobre como é possível tratar dores e outros sintomas das mais diversas formas. 

A diacereína

A diacereína é uma substância derivada da reina, um tipo de resina extraída de uma planta que tem efeito anti-inflamatório, muito utilizada em pacientes com artrose. Ela tem um mecanismo de ação anti-inflamatório diferente dos anti-inflamatórios convencionais.

No entanto, a reina tem como desvantagem sua difícil absorção pelo intestino. Por isso, no laboratório, converte-se a reina em diacereína, uma substância mais facilmente absorvida pelo intestino. Após a ingestão, o organismo transforma então a diacereína na reina, facilitando assim sua absorção e utilização.

A diacereína é um medicamento da classe dos anti-artrósicos de ação lenta, assim como alguns outros que veremos a seguir. 

Qual a relação entre a diacereína e o celecoxibe? 

Um estudo comparativo entre a diacereína (Artrodar), administrada em sua dose terapêutica (100mg por dia), e o celecoxibe (Celebra), na dosagem de 200 mg por dia, permitiu comparar a eficácia analgésica de ambos os medicamentos, onde foi encontrado um efeito analgésico similar entre eles. 

Entretanto, é importante ressaltar que a diacereína apresenta um perfil de risco à saúde menos significativo em comparação ao celecoxibe.

Quais os efeitos colaterais da diacereína?

A diacereína tem como principal efeito colateral soltar o intestino e liberar um pouco mais de gases, o que para alguns pacientes é benéfico, quando existe queixa de constipação.

Na maioria dos casos, é comum mulheres e pacientes mais idosos terem o intestino preso, então pode ser uma solução para os dois problemas. 

Já para os pacientes que não têm intestino preso, é possível se acostumar com o medicamento depois de alguns dias. Portanto, indica-se iniciar com uma dose mais baixa e ir aumentando após uma ou duas semanas. 

É importante lembrar que o efeito da diacereína começa mesmo depois de algumas semanas, por isso é necessário ter um pouco de paciência. 

Por quanto tempo posso tomar a diacereína?

Não indica-se o uso da diacereína por mais de 6 meses, pois não se sabe direito a segurança do uso tão prolongado. Até o momento, não existem estudos que liberem o medicamento para o uso durante longos períodos.

A garra do diabo

O harpagophytum procumbens, também conhecido como garra do diabo, é um fitoterápico muito indicado para os pacientes que têm artrose ou algum tipo de inflamação crônica. 

Apesar de parecer caseiro, já existem estudos comprovando a eficácia, efeito anti-inflamatório e segurança para o uso da garra do diabo por aproximadamente 6 meses. Inclusive é possível comprar na farmácia, a preparação de laboratório grandes e de confiança, sendo os mais comuns o arpadol, artroflan e artrotop. 

Indica-se também o Harpagophytum, tanto com uso oral em comprimido, quanto em cremes e pomadas.

Quanto tempo demora para a garra do diabo fazer efeito? 

Geralmente, o efeito da garra do diabo torna-se perceptível em algumas semanas. Assim, promovendo um alívio da dor mais rapidamente em comparação ao colágeno não hidrolisado tipo 2 e à curcumina. 

Arnica Montana 

Em meu consultório, eu costumo recomendar frequentemente a Arnica Montana, especialmente quando utilizada em formas de tópicas, como creme e pomadas. 

Estudos já comprovaram o efeito anti-inflamatório e analgésico da Arnica Montana, mas dependendo de como ela for preparada, pode apresentar substâncias que são tóxicas, por isso não é indicado o uso para chá medicinal. 

O recomendado é adquirir em um laboratório de confiança, onde as concentrações da fórmula são precisas e seguras. Indica-se também o uso tópico, passando no lugar da inflamação e da dor. O nome comercial da substância é traumeel, diferente de tramadol ou tramal. 

Qual a diferença entre a arnica e a garra do diabo? Qual o melhor anti-inflamatório natural?

A eficácia da arnica e da garra do diabo varia conforme a resposta individual de cada paciente, tornando difícil estabelecer um como superior ao outro. 

Com base em minha experiência e prática clínica, recomendo o uso oral da garra do diabo e a aplicação tópica da arnica, aproveitando assim as propriedades específicas de cada um para tratamentos diferenciados.

Piascledine

Dois medicamentos fitoterápicos menos conhecidos que apresentam propriedades notáveis são o Piascledine e a Boswellia serrata. 

O Piascledine é um medicamento importado, produzido por um laboratório francês, a Abbot, é sintetizado por dois extratos, do abacate e da soja.

Segundo alguns estudos esse medicamento apresenta um melhor efeito para pacientes com osteoartrite. Porém, seu valor não é acessível, além disso, com os estudos acerca de outros medicamentos, indico esse com menor frequência. 

Os fitoesteróis presentes no medicamento demonstraram em pesquisas melhorar os sintomas da pós-menopausa, agindo de maneira similar à terapia hormonal. Além disso, indica-se também frequentemente em ciclos alternados com tratamentos para artrose. 

Boswellia serrata

Existem muitos estudos acerca da boswellia, os resultados desse medicamento para pacientes que sentem dores e apresentam inflamação crônica são melhores, principalmente para artrose.  Pelo resultado de vários estudos, ele apresenta efeito analgésico e anti-inflamatório de forma eficaz, apesar de não ser muito conhecido. 

A Boswellia é pouco encontrada no Brasil ou em farmácias confiáveis, mas pelo que é visto no osteo bi-flex é possível manipular este medicamento com algum dos outros fitoterápicos já citados.  

A Condroitina e a Glucosamina servem como anti-inflamatórios naturais?

Não, a condroitina e glucosamina  não são mais indicadas, pois muitos estudos mostram a ineficácia, já que o resultado é parecido com o placebo. 

Existem relatos de pacientes a respeito da eficácia do osteobiflex. Esse medicamento é frequentemente trazido dos Estados Unidos e em sua composição está presente a condroitina e a glucosamina. Uma curiosidade a respeito desse medicamento, está no rótulo: em sua composição a boswellia e o MSM estão presentes. 

Portanto, os pacientes que notaram melhoras após o uso de condroitina e glucosamina podem ter sido influenciados pelo efeito do placebo, o que pode ser bastante comum, ou pelos efeitos dos outros dois compostos mencionados neste artigo.

O Metilsulfonilmetano (MSM) ou enxofre orgânico

O enxofre orgânico é um tipo de enxofre encontrado em vários tipos de alimentos, mas que, geralmente, nesses casos a dosagem é menor.  Encontra-se a substância com mais frequência em alimentos de origem animal, sendo assim, o ideal é falar em nutracêutico e não fitoterápico, pois “fito” significa planta. 

O MSM age em dois principais mecanismos em pacientes que têm artrites e artroses, e é muitas vezes misturado nesses suplementos. Como o osteobiflex, o colflex, entre outros. 

Quais os benefícios médicos do MSM? 

O MSM age de duas formas: uma como anti-inflamatório anti-artrósico de ação lenta, assim como a diacereína.  Além disso, o enxofre orgânico também serve como suplemento de reposição de enxofre, que é fundamental para a síntese de colágeno, uma das principais proteínas do nosso corpo. 

Indica-se o uso do medicamento sozinho? 

Em meu consultório, eu não indico o uso de MSM isoladamente. Mas pode-se usá-lo em conjunto em outras fórmulas para artrose, encontradas em farmácias ou manipuladas. 

Uma revisão sistemática que fizeram com vários medicamentos usados para artrose demonstrou que o MSM auxiliou na melhora do movimento e da função da articulação, mas sem muitos resultados para a dor e desgaste, por isso não é recomendado o uso deste medicamento isoladamente. 

Medicamentos fitoterápicos usados para dores e inflamação ortopédica

Curcumina 

A curcumina é uma substância que tem na cúrcuma longa, com propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antioxidantes. Recomenda-se para dores causadas pela artrose e quando os pacientes apresentam dores e inflamações no corpo, causadas por atividade física. Geralmente, as pessoas ingerem o shot matinal com cúrcuma longa, mas essa não é a melhor forma de usá-la.

curcumina, substância anti-inflamatória

Quais são os cuidados que o paciente deve ter antes de usar a curcumina?

É crucial ter cautela ao utilizar a cúrcuma, priorizando verificar bem a sua origem. Isso se deve ao fato de que o pó de cúrcuma pode conter quantidades significativas de farinha e corante, variando conforme o fornecedor.

Além disso, a cúrcuma longa apresenta muito oxalato, um tipo de sal que predispõe a pedra no rim para pacientes com alguma tendência. 

A biodisponibilidade da curcumina na cúrcuma longa é muito baixa. Dessa forma, para o uso da cúrcuma in natura é preciso colocar um pouco de piperina, que é uma substância da pimenta preta, que facilita a absorção da curcumina, naturalmente.

Onde encontrar a substância de forma confiável?

Pensando nisto, um laboratório da Bélgica desenvolveu uma curcumina com uma camada tri lipídica, que aumenta 95 vezes a biodisponibilidade, ou seja, o aproveitamento da curcumina ingerida pelo corpo. 

No Brasil, quem comercializa essa matéria-prima nos seus medicamentos é a Mantecorp. 

Como é possível notar, todos os medicamentos citados são encontrados nas farmácias comuns e são produzidos por laboratórios de confiança. 

 Na prescrição de medicamentos para meus pacientes, opto por laboratórios renomados ou farmácias de manipulação confiáveis, a fim de garantir controle de qualidade e evitar o risco de contaminação ou adulteração dos produtos.

Erva baleeira

A erva baleeira, que tem o nome científico de Cordia verbanacea, apresenta grandes benefícios no tratamento de artrite, artrose e outras inflamações.

Utiliza-se a planta da erva baleeira no medicamento chamado Acheflan, que tem a consistência de um creme. Há relatos em que é possível fazer chá com a erva, no entanto, não existem muitos estudos e nem medicamentos confiáveis para uso dessa planta de forma oral, portanto, a forma de uso mais indicada é na forma tópica em creme, spray e gel.  

O salicilato de metila, a cânfora e o mentol, são outras substâncias produzidas pelas plantas com efeito analgésico e anti-inflamatório, que podem ser usadas com as mesmas finalidades. Elas são encontradas no Gelol, calminex e bálsamo bengué, onde são sintetizadas artificialmente em laboratório. 

UC2

Dentre os muitos medicamentos que são utilizados para tratar artrite e artrose, existe o UC2, que é um tipo de colágeno não hidrolisado do tipo 2. Importante destacar que o UC2 é classificado como um nutracêutico, não podendo ser considerado um fitoterápico, pois é derivado da cartilagem de frango.

Porém, ainda assim é um medicamento de alguma forma natural, que apresenta um resultado bom para quem tem dores causadas pelo desgaste da cartilagem articular e um baixíssimo risco de efeitos colaterais.

Este medicamento não é indicado para tendinites, dores musculares e outros tipos de inflamação. 

Como o UC2 é útil no caso da artrose? Qual a taxa de resultado?

O mecanismo de ação dele não é de reposição e nem formação de colágeno, ele age modulando a resposta inflamatória, que acontece no desgaste da cartilagem. 

Para entender mais a respeito deste medicamento confira o vídeo completo sobre UC2, disponível no meu canal no YouTube.   

Em pacientes com artrose, seus resultados são em torno de 40 a 60% de alívio dos sintomas. Além disso, é possível usar em conjunto com a diacereína ou a curcumina, por exemplo, melhorando a analgesia.

Mas e a Sucupira, a unha de gato, a canela de velho e a castanha-da-Índia? 

A castanha-da-Índia não é indicada como anti-inflamatório e nem analgésico, podendo ser mais usada na forma de creme ou pomada para quem tem mais problema de circulação, que apresenta inchaço nas pernas ou que tem varizes. Nestes casos, a substância auxilia um pouco no desconforto nas pernas. 

Já no caso da sucupira, da unha de gato e da canela de velho, existem estudos comprovando os efeitos analgésicos e anti-inflamatórios. 

No uso de todas as substâncias, é necessário cautela na preparação, na escolha do fornecedor das plantas e no modo de uso, já que um manuseio inadequado pode resultar em efeitos colaterais adversos e comprometer a eficácia esperada no alívio da dor.

castanha da índia, substância não indicada como anti-finalamatória

Quais os efeitos do canabidiol (CBD), o THC e os extratos da cannabis sativa?

Existem diversas pesquisas científicas comprovando os efeitos benéficos no tratamento de várias doenças com os extratos da cannabis. Isso porque o que parece acontecer é que os extratos têm um efeito melhor do que as fórmulas isoladas. 

Várias plantas apresentam essa mesma característica, pois algumas de suas substâncias agem de uma forma sinérgica potencializando os efeitos no corpo, com efeitos terapêuticos melhores mesmo com uma dose mais baixa, com menos efeitos colaterais. 

O THC por exemplo, aumenta a afinidade do CBD se ligar nos receptores presentes nas células. Então, com uma dose baixa de THC, já se nota melhores efeitos do próprio CBD. 

Observei que indivíduos que utilizam CBD isolado frequentemente experimentam efeitos analgésicos mais fracos. Atualmente, é possível adquirir extrato de cannabis de laboratórios confiáveis em farmácias, o que é legal, desde que se tenha uma receita específica, evitando a automedicação.

Quais são os efeitos colaterais dos anti-inflamatórios naturais?

Quando usadas corretamente, os efeitos colaterais são geralmente mínimos, e o risco de dependência química é consideravelmente baixo, contrariando a crença popular.

Eu geralmente desaconselho o uso de fórmulas caseiras, pois a concentração exata dos ingredientes é incerta, o que dificulta a padronização do uso diário. Isso complica a tarefa dos médicos em prescrever a dosagem correta para o paciente, visto que esta pode variar significativamente de um paciente para outro.

Nota-se o bom resultado desses medicamentos em pacientes com dores crônicas e fibromialgia.    

Se vocês quiserem saber mais sobre o uso de substâncias no tratamento de diferentes tipos de dores ortopédicas, acesse o meu canal no YouTube, onde eu também abordo os temas acima com mais detalhes.


Espero que este artigo tenha sido útil para esclarecer os benefícios dos anti-inflamatórios naturais no controle da dor e da inflamação de condições ortopédicas. Caso você necessite de orientação de um especialista para obter o melhor tratamento possível, não hesite em me procurar!

Sou o Dr. Oliver Ulson, médico ortopedista especialista em terapia com ondas de choque e outros tratamentos para dores ortopédicas. Estou disposto a te ajudar!