paciente durante tratamento com ondas de choque

Erros comuns no Tratamento com Ondas de Choque (TOC)

A onda de choque é uma onda acústica, mecânica, de alta energia, e que não se relaciona aos outros tratamentos feitos na fisioterapia.

Conhecida como uma terapia muito eficaz para realizar tratamentos de doenças crônicas, que precisariam de cirurgia, o tratamento com ondas de choque oferece resultados muito parecidos e, às vezes, mais eficaz. Além disso, evita todas as desvantagens da cirurgia, tanto anestesia, quanto cicatriz, riscos de infecção e recuperação.

Neste artigo, baseado no meu vídeo do YouTube, eu explico diferentes erros cometidos durante o tratamento de ondas de choque.  

Quais são os equipamentos de tratamento com ondas de choque?

Existem dois tipos de equipamentos de ondas de choques, são eles: o de onda de choque focal, que é o verdadeiro equipamento de ondas de choque, e o radial, que também é chamado de ondas de pressão. 

O radial é um equipamento europeu que trata tendinites crônicas superficiais. Algumas marcas boas conhecidas são: BTL, EMS Dolorclast ou Piezoclast, Richard Wolf e a Storz. Esses equipamentos são diferentes da estimulação elétrica usada na fisioterapia.

Devo buscar um profissional para saber se posso fazer tratamento de ondas de choque?

Sim!

É fundamental procurar um bom profissional, para saber dos riscos e contraindicações do tratamento de ondas de choque e obter indicação correta. 

Uma forma de checar o profissional para tratamento é ir ao site da Sociedade Médica Brasileira de Terapia de Ondas de Choque (SMBTOC) e buscar saber se o profissional faz parte da sociedade. 

Quando há indicação de tratamento com ondas de choque?

Recomenda-se a onda de choque para o tratamento de dores e processos inflamatórios crônicos, como:

  • Tendinopatias;
  • Bursites;
  • Fascites;
  • Epicondilites;
  • Capsulites adesivas;
  • Dores miofasciais;
  • Osteonecrose;
  • Fraturas que não consolidaram;
  • Edemas ósseos;
  • Fraturas por estresse;
  • Tendinite calcárea. 

Seguir o tratamento receitado pelo profissional auxilia nas chances de melhora nas dores, possibilitando um resultado satisfatório.

Portanto, pacientes que sofrem com essas condições e estão buscando tratamento eficaz, agendem uma consulta com um ortopedista especialista em terapia de ondas de choque o quanto antes.

A onda de choque ajuda na artrose? 

A onda de choque não tem efeito no desgaste da cartilagem, porém, como ela ajuda em tendinites crônicas, bursites, processos inflamatórios e edema ósseo, que são muito comuns na artrose, ela vai muito bem como um procedimento paliativo, quando o paciente é bem avaliado e indicado. 

A importância dos protocolos de tratamento com ondas de choque

O estudo com a onda de choque já existe para várias doenças, porém, em cada estudo eles acabam usando um equipamento diferente. Sendo assim, muitas variáveis impedem que o nível de evidência científico seja o mais alto.  

O profissional deve se atentar aos protocolos, mas também precisa saber individualizar o tratamento, cada caso exige um tratamento específico. Algumas recuperações exigem poucas sessões, mas em outros casos existem variáveis que interferem o resultado do tratamento, sendo indicado rever a conduta. 

É possível fazer tratamento com ondas de choque tendo doenças e disfunções associadas?

Depende.

A avaliação do paciente que vai receber a onda de choque precisa ser bem-feita, para se atentar a presença de doenças e outras disfunções que fragilizam os tecidos do corpo, como o diabetes, o uso de cigarro, uso de muito anti-inflamatório ou corticoide. 

Doenças reumáticas, tipo artrite reumatoide, gota ou lúpus, dificultam o processo do tratamento de ondas de choque, tanto pela enfermidade quanto pelos remédios que o paciente precisa usar. 

A fibromialgia e a dor crônica são outros dois problemas que precisam ser pensados quando a onda de choque não funcionar, já que nesses casos a dor não depende só da recuperação do lugar, mas também da dessensibilização do sistema nervoso. Em alguns casos, indica-se o uso de remédios específicos.

Já as tendinites crônicas que surgem por causa de problemas biomecânicos, como de postura, fraquezas e encurtamentos musculares, necessitam de correção. Caso contrário, o tratamento pode ser insuficiente. 

Qual a importância dos exercícios físicos para o tratamento de dores e processos inflamatórios?

Os alongamentos e fortalecimentos são fundamentais para esses pacientes. No caso da tendinite do quadril, é muito comum o paciente ter fraqueza do glúteo médio e mínimo e encurtamento do trato iliotibial, tornando necessária correção para obter 100% em resultados. 

Já no caso das tendinites no ombro é comum os pacientes apresentarem fraqueza e disfunção do manguito rotador, mas também toda a musculatura que estabiliza a escápula, como romboide e trapézio por exemplo, que necessita correção. 

No caso do esporão, tendinite de Aquiles e fascite plantar, se o paciente não tem um bom alongamento da panturrilha e tem uma pisada muito errada, pode ser mais difícil a recuperação.  

Para o tendão, os exercícios excêntricos são fundamentais para ajudar na recuperação do paciente.

Quais são as estatísticas relacionadas a onda de choque?

A onda de choque pode ter alto índice de resultados favoráveis, enquanto outras não. Mesmo assim, a terapia ainda acaba sendo a melhor opção para quem busca tratamento. 

A onda de choque estimula a recuperação do tecido, mas não de forma imediata, o efeito é progressivo, ao longo das semanas, podendo ser rapidamente alcançado ou podendo demorar, dependendo do paciente. 

Se você deseja saber mais sobre Terapia de Ondas de Choque e outras questões relacionadas a ortopedia, acesse meu canal no YouTube.

Sou o Dr. Oliver Ulson, médico ortopedista, uma das minhas áreas de atuação é o tratamento com ondas de choque. Sou membro da Sociedade Médica Brasileira de Terapia de Ondas de Choque (SMBTOC) e estou disposto a te ajudar!

Foram usadas diversas referências científicas, caso você queira saber mais sobre, confira nos links abaixo:

Site SMBTOC: https://www.sbtoc.org.br/

Centros de Tratamentos: https://www.sbtoc.org.br/centros-de-tratamento-por-ondas-de-choque/ 

Artigo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC9382436/  

Entre em contato