Fascite, esporão e tendinite: Qual a relação e como tratar?

Você já acordou algum dia com aquela dor no pé que parece que tem alguém te espetando com uma agulha? Ou já sentiu aquele desconforto no calcanhar que te acompanha durante uma corrida, uma caminhada ou até mesmo quando você coloca o pé no chão de manhã? 

Essas dores são bastante comuns e muitos pacientes não fazem ideia do que se trata. Neste artigo, baseado no meu vídeo do YouTube, eu explico tudo sobre a fascite plantar, o esporão do calcâneo e a famosa tendinite de Aquiles. Continue lendo!

As três condições são comuns e podem afetar milhares de pessoas todos os anos no Brasil. No entanto, é preciso saber diferenciar as três doenças, entender por que ocorrem e como podem ser tratadas.

O que é o esporão no calcanhar?

Existem três principais esporões no calcanhar, dois juntamente com o tendão de aquiles e o localizado junto com a fascia plantar. 

esporão no calcanhar
  • O primeiro representado na imagem é o da fáscia plantar. Identifica-se embaixo do calcanhar. 

tendão calcâneo
  • O segundo é formado atrás do tendão de aquiles, ou também chamado de tendão calcâneo. 
deformidade de haglund
  • O terceiro, o mais grave entre os tipos, é localizado na frente do tendão de calcâneo, que se chama deformidade de Haglund. 
deformidade de hadlung

Como os esporões no calcanhar se formam?

Os dois primeiros esporões no calcanhar aparecem por uma calcificação da fáscia plantar e o tendão de aquiles na sua inserção no osso calcâneo, essa calcificação aparece por uma sobrecarga mecânica crônica. 

Já o Haglund, pode ser uma formação apresentada desde o nascimento do paciente, podendo aumentar de tamanho no crescimento e com o atrito direto do tendão calcâneo. 

Nenhum desses esporões somem sem tratamento adequado, mas na maioria das vezes não é necessário passar por cirurgia.

O que é fascite e qual a relação com o esporão plantar?

A fáscia plantar é o tecido indicado em verde nas imagens abaixo, ela funciona como se fosse um arco de corda, ajudando a manter o formato curvo do pé. Apresenta efeito semelhante a uma mola, com um pequeno grau de elasticidade. 

fascite nos pés

O esporão plantar é uma calcificação da fáscia pela tração crônica da sobrecarga. Este caso não causa perfuração, apesar da dor ser semelhante a uma ou uma queimação. 

A dor localiza-se na região da própria origem da fáscia plantar, quando se apresenta inflamada, degenerada ou desgastada. Com base nos estudos que comprovaram a incidência de dor nessa região do pé e a presença ou não do esporão, não há relação estatística.

Com base em um estudo que comparou a incidência de dor nessa região do pé e a presença ou não do esporão, não foi encontrada relação estatística de causa e efeito. Em metade dos casos com esporão plantar os pacientes não apresentam sintomas e em mais da metade dos casos com dor, não existia esporão, dessa maneira foi concluído que a verdadeira causa da dor é a fascite.

Como acontece o rompimento do tendão de aquiles ou tendão calcâneo?

O tendão de aquiles ou tendão calcâneo fica localizado atrás do tornozelo e ajuda na impulsão do pé.  

tendão de aquiles

Os casos de pacientes que romperam o tendão de Aquiles fazendo algum esforço são comuns. O rompimento acontece, porque já havia degeneração anteriormente, nesses casos, é possível recomendar-se a cirurgia.  

A fascite plantar e a tendinite de Aquiles ocorrem por excesso de uso ou degeneração do tecido do tendão. No caso da tendinite de Aquiles, a degeneração ocorre no tendão de Aquiles, localizado na parte de trás do tornozelo.

Uma condição adicional conhecida como “atrito de Haglund”, caracterizada por um esporão ósseo (uma saliência óssea) situado na parte frontal do tendão de Aquiles, pode provocar fricção excessiva e dor no tendão. Em determinados casos, pode tornar-se necessário realizar uma intervenção cirúrgica para remover o esporão ósseo e aliviar o desconforto.Parte superior do formulário

As imagens abaixo representam o exemplo de uma cirurgia, com o antes e depois da retirada do esporão. 

antes e depois da retirada de esporão ósseo

O outro esporão, localizado atrás do tendão de calcâneo, pode causar incomodo se sofrer atrito no sapato, mas não representa um problema sério, além da dor, já que não faz necessariamente um atrito no tendão de Aquiles. 

Por que os tecidos inflamam, desgastam e degeneram? 

A inflamação não é totalmente prejudicial para o corpo, faz parte do processo de cicatrização do corpo. 

Existem células que tiram o tecido velho, degenerado e machucado, já outras que estimulam a formação de tecido novo sadio. 

Se o paciente não trata corretamente e essa inflamação continua, as células que retiram o tecido velho começam a também destruir o tecido bom, esse processo contínuo leva ao enfraquecimento e degeneração do tendão, se tornando uma tendinose. 

Dessa forma, o tendão degenerado se torna fraco, dolorido e pode até romper. Em muitos casos, essa inflamação aguda inicial já passou, mas a degeneração continua causando dor. 

rompimento do tendão de aquiles

Também pode ocorrer de o paciente ter uma sobrecarga leve, por um longo período, e sentir apenas dores leves ou nenhum sintoma, mas a degeneração e enfraquecimento estão adormecidos, piorando aos poucos o tecido do tendão ou da fáscia.

Os sintomas podem se apresentar de repente, com uma dor aguda, assim, provavelmente rompeu algumas fibras e começa a inflamação. 

Um dos principais fatores que desenvolve a fascite e a tendinite de aquiles é o encurtamento da panturrilha. Quando a musculatura da panturrilha está encurtada, a tensão nesses tecidos aumenta, sobrecarregando-os.

encurtamento da panturrilha

Se quiser saber mais sobre como ocorre o tratamento das dores agudas e quais condições elas podem estar relacionadas, confira essa playlist.

Quais são os fatores de riscos para o enfraquecimento dos tecidos conjuntivos?

Existem diversos fatores, como doenças, medicamentos e hábitos que podem enfraquecer os tecidos conjuntivos, são eles:

  • Diabetes;
  • Doenças na tireoide;
  • Alguns antibióticos e corticoides;
  • Esteroides;
  • Cigarro;
  • Obesidade, que além da sobrecarga de peso, produz muita inflamação pelo corpo;
  • Sobrecarga por excesso de peso ou corrida com impacto. 

Além disso, o tipo de calçado também pode ajudar no enfraquecimento dos tecidos conjuntivos, como por exemplo, o uso frequente de salto alto pode encurtar o tendão de Aquiles e aumentar a tração desses tecidos.

Já o uso de sapato muito plano, por si só predispõe à fascite e tendinite. 

Tratamentos indicados para fascite, esporão e tendinite

Existem alguns passos que podem ser seguidos no tratamento destas doenças, como:

  1. Primeiramente, indica-se o ajuste do calçado. Enquanto o problema não for resolvido, recomenda-se evitar usar sapatos muito baixos e, se possível, colocar uma calcanheira junto.
  • Posicionar o calcanhar mais alto enquanto está melhorando, diminui a tensão tanto no tendão de aquiles, quanto na fascia plantar, diminuindo o atrito entre o tendão e o esporão do Haglund, se for o caso. 
  • O alongamento da panturrilha é fundamental em todas essas doenças. Recomenda-se manter frequência, sempre com o joelho esticado, para alongar os músculos. Existem várias maneiras que podem auxiliar para o alongamento, apoiado na parede, com uma faixa ou toalha e com a ajuda de um degrau etc. 

Recomenda-se para os pacientes que se levantam cedo e pisam no chão imediatamente, fazer alongamento antes de sair da cama.

  • No tratamento da fascite plantar, recomenda-se combinar o fortalecimento dos músculos da sola do pé com o exercício da toalha. Essa abordagem facilita a liberação da fáscia plantar, que pode ser complementada pela aplicação de uma garrafa de gelo e massagem no pé com uma pequena bola.

Já a tendinite calcânea, é possível associar com exercícios excêntricos para fortalecimento do tendão, melhorando a organização das fibras de colágeno. Nesse exercício, o paciente utiliza um degrau, subindo com os dois pés e descendo lentamente com o pé que está com os sintomas. 

Recomenda-se 3 séries de 15 repetições, de 3 a 4 vezes por semana são suficientes para os exercícios de fortalecimento, já os alongamentos podem ser feitos 3 vezes por dia 20 segundos. 

Caso o paciente apresente muita inflamação e dores, recomenda-se o uso de:

  • Adesivos;
  • Pomadas analgésicas ou anti-inflamatórias locais ou orais;
  • Injeção de corticoide.

Porém, esses medicamentos geralmente funcionam mais em dores agudas e tem pouco efeito para solucionar a dor de uma lesão crônica, só aliviam os sintomas. 

Esse é o tratamento padrão em casa e que resolve mais da metade dos casos, mas se não obter resultado, é preciso seguir outras indicações. Recomenda-se os tratamentos mais elaborados, com fisioterapia, incluindo mais medidas analgésicas, alongamentos e fortalecimentos específicos. 

Não recomenda-se o uso de anti-inflamatório em excesso caso o paciente apresente tendinite crônica, ou seja, mais degeneração do tendão. Além dos gastos financeiros, não indica-se estes medicamentos para o estômago e rins.

Se a dor persistir, o paciente pode realizar infiltração ou cirurgia? 

Na minha prática médica, eu não sou muito a favor de indicar a realização de cirurgia e infiltração mesmo nestes quadros, exceto em um único caso.

A infiltração, principalmente com corticoide só diminui a inflamação temporariamente e o corticoide tem efeito degenerativo nos tendões e fáscias, ou seja, apresenta melhora por um período, mas pode piorar muito a longo prazo, ocasionando à ruptura desses tecidos. 

Já no caso da cirurgia para tendinite de Aquiles e fascite plantar isoladamente, a técnica também não soluciona o problema, exceto no caso do Haglund. Neste último caso, é possível fazer a retirada do esporão que faz atrito no tendão, resolvendo a causa do problema inicialmente. 

Sendo assim, o tratamento mais indicado para quando os tratamentos iniciais não mostram resposta satisfatória é a terapia com ondas de choque.

Tratamento com ondas de choque

Atualmente, o tratamento com maior evidência científica para solucionar as dores causadas pela fascite, esporão ósseo e tendinite de aquiles é o com ondas de choque.

O tratamento com ondas de choque estimula a recuperação do tecido conjuntivo, modulando a inflamação, estimulando a produção de novas fibras de colágenos, fibroblastos e aumentando a circulação no local, ou seja, ele estimula a regeneração e cicatrização tecidual. 

A onda de choque não utiliza a mesma placa de choque da fisioterapia, que geralmente é o TENS, na realidade, o procedimento feito por um ortopedista envolve o uso de uma onda mecânica acústica, de alta intensidade, e atualmente é o tratamento com estudos e modernização para este fim. 

Caso você queira saber mais sobre os tratamentos com o uso de ondas de choque e os erros mais comuns cometidos, acompanhe o meu canal no YouTube. Lá, eu esclareço todas as dúvidas dos meus pacientes e busco ajudar da maneira mais dinâmica possível.

Sou Dr. Oliver Ulson, médico ortopedista, especialista em tratamento com ondas de choque. Se você sofre com condições ortopédicas, incluindo fascite, esporão e tendinite e busca uma avalição adequada e tratamento para essas condições, posso te ajudar!