sintoma da fibromialgia

Fibromialgia: o que é, sintomas e tratamento para a dor

A fibromialgia não é uma doença que causa inflamação nos músculos, isso é um conceito antigo e que prejudica muito o tratamento dos pacientes. A fibromialgia tem causa parecida com outros casos de dor crônica, mas ocorre de uma forma mais generalizada. 

Neste artigo, eu explico mais sobre como tratar a fibromialgia, quais os principais remédios para esse fim e como usá-los. No meu canal do YouTube, você encontra um conteúdo parecido.

Como ocorre a fibromialgia?

A dor da fibromialgia acontece por uma alteração na interpretação da dor pelo nosso sistema nervo periférico e central, ou seja, os nervos, a medula espinhal e o cérebro. 

São os nervos que captam as sensações no lugar do machucado e levam até o cérebro. Assim, o cérebro manda um estímulo nervoso para a região do machucado, controlando a sensação dolorosa. 

A comunicação entre os nervos é feita com vários neurotransmissores e receptores nessas células. Esses neurotransmissores são os mesmos que interferem na ansiedade e depressão, por exemplo. 

Quais os sintomas da fibromialgia?

Os principais casos são dores musculares, contratura, comum em problemas na coluna, como torcicolo, dorsalgia e lombalgia, dores miofasciais e tendinites crônicas, que são comuns em pacientes com fibromialgia. 

Também é comum que os pacientes com fibromialgia tenham dificuldade para dormir, cansaço, ansiedade ou depressão. 

Além disso, portadores de fibromialgia têm seu funcionamento alterado, sintomas que antes dariam uma sensação de temperatura ou pressão, passam a uma sensação de dor. Um estímulo de dor leve, pode levar à uma dor intensa. 

O que causa a fibromialgia?

A primeira situação é chamada de alodínea e a segunda é a hiperalgesia. 

Um exemplo simples de alodínea é quando o paciente sente arder ou queimar só de passar a mão na pele, já a hiperalgesia acontece quando o paciente sente muita dor só de apertar de leve o local, quando não tem uma lesão grave na região. 

intensidade da dor para alodínea e hiperalgesia
Fonte: Tratado da Dor – SBOT

Este gráfico retirado do tratado da dor da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT), ilustra como o paciente com fibromialgia ou dor crônica é muito mais sensível do que os pacientes que não apresentam a condição.

A curva azul seria um paciente com dor crônica ou fibromialgia e a laranja de um paciente com resposta normal da dor. 

O paciente com fibromialgia pode sentir dor mesmo sem ter uma lesão no corpo e quando tem lesão, a dor aumenta potencialmente.

Apesar de muitas vezes a dor da fibromialgia não ser tão intensa quanto uma dor de batida, contratura muscular ou torção, ela impede o paciente de dormir, trabalhar, fazer atividades físicas e sociais levando à depressão, ansiedade, obesidade e prejudicando o convívio com outras pessoas. 

Tratamento para a fibromialgia

Os remédios podem ser usados no tratamento para a fibromialgia, a fim de aumentar o limiar da dor, deixando o paciente similar às pessoas que não possuem fibromialgia e, assim, conseguir fazer os outros tratamentos que são fundamentais. Portanto, os medicamentos mais conhecidos para o controle da dor na condição são:

  • Dipirona;
  • Paracetamol;
  • Tramadol. 

Os analgésicos são muito importantes no começo do tratamento e em crises, outros remédios necessitam de mais tempo para fazer efeito. No caso de uma crise de dor, quanto antes ela for controlada, mais rápido pode ser resolvida com remédios mais fracos. 

A dipirona e o paracetamol não precisam de receita para a compra e são bem tolerados e seguros para a maioria das pessoas, mas é possível conter exceções. São indicados para idosos, com recomendação maior que os anti-inflamatórios. 

O uso é indicado para dor leve, se a dor for mais forte, pode ser usado junto com outros analgésicos, como a tramadol. Os mecanismos de ação são diferentes, alguns pacientes conseguem melhorar a analgesia, sem precisar de tantos remédios.

 

Relaxantes musculares ajudam ao tratamento da fibromialgia?

Sim!

Os relaxantes musculares são o segundo tipo de remédios para o tratamento da fibromialgia, especificamente a ciclobenzaprina, que é mais conhecida pelos nomes comerciais miosan ou musculares.  

A ciclobenzaprina tem a molécula muito parecida com o da amitriptilina, outro remédio muito usado para fibromialgia.

É possível comprar a ciclobenzaprina sem receita médica, seu uso costuma ser seguro para o organismo, mas pode causar sono nos pacientes que usam este medicamento. Geralmente 1 a cada 5 pacientes com fibromialgia tem excelente resultado com a ciclobenzaprina. Além de prevenir a dor nesses pacientes, ajuda na dor muscular, principalmente na contratura.

Como benefício secundário, o relaxante ajuda os pacientes que costumam ter problemas para dormir por causa da fibromialgia a melhorar a qualidade do sono.

Antidepressivos e gabapentinóides

A amitriptilina e outros remédios adjuvantes são a base do tratamento da fibromialgia, entre eles temos os antidepressivos e os gabapentinóides. 

Contudo, os antidepressivos mais indicados para fibromialgia são a amitriptilina e a duloxetina. 

Os remédios adjuvantes no tratamento da dor crônica são medicamentos que não são diretamente analgésicos, mas que ajudam controlando e revertendo esse processo de sensibilização que acontece no sistema nervoso. Portanto, eles ajudam o sistema a voltar ao seu funcionamento normal. 

Entre os gabapentinóides, a gabapentina têm poucos estudos e evidência para a fibromialgia, por outro lado a pregabalina tem muitos estudos e alto grau de recomendação para a doença, assim como a amitriptilina e a duloxetina. 

Uma observação no uso desses remédios é a demora para equilibrar no organismo, de geralmente cerca de duas semanas. No começo, o paciente pode apresentar mais efeitos colaterais e menos alívio da dor, por isso, o ideal é começar aos poucos com dose baixa e ir ajustando com o tempo. 

É comum as pessoas reclamarem de tontura, sonolência e aumento do apetite com a amitriptilina e pregabalina, uma sugestão é trocar pela duloxetina, que diminui o apetite e dá mais disposição durante o dia.

Ademais, os pacientes com fibromialgia podem ter outras doenças, como tendinites, bursites e osteoartrite. Os anti-inflamatórios ajudam na crise dessas doenças.

Medicamentos naturais para pacientes com fibromialgia

Os anti-inflamatórios e analgésicos naturais, apesar de terem menos estudos na fibromialgia, ajudam a diminuir a inflamação do paciente com tendinite, bursite, artrite etc., podendo ser usados de forma mais contínua. Os mais indicados são:

Cremes, pomadas, gel e emplastros, como o emplastro de loxoprofeno, a arnica e o diclofenaco, podem ser indicados para tratar a fibromialgia.

A absorção pelo organismo é baixa e costuma ter um bom efeito local quando a dor é mais superficial, perto da pele, como na mão, pé e joelho. 

Se você quiser saber mais sobre essas e outras questões para o tratamento da fibromialgia, acesse meu canal do YouTube

dores causadas pela fibromialgia nos músculos

Como saber qual o tratamento ideal para a fibromialgia? 

Procure um médico!

Na minha atuação em consultório, eu indico o tratamento de acordo com os sintomas do paciente, como fadiga, depressão, ansiedade, insônia, sobrepeso ou baixo peso e prescrevo um dos remédios adjuvantes, indico os antidepressivos e gabapentinóides. 

É fundamental orientar bem o paciente sobre a fibromialgia, outras doenças que têm relacionadas e dar início às terapias complementares. Acima de tudo, estes tratamentos vão manter o paciente com fibromialgia sem precisar depender a vida toda de remédios. 

Para o paciente com fibromialgia cuja dor não é persistente, indica-se manter as terapias complementares, os analgésicos e a ciclobenzaprina, para eventuais dores esporádicas. Afinal, o tratamento não farmacológico da fibromialgia é fundamental para a melhora.

Sendo assim, pacientes que sofrem com essas condições e estão buscando tratamento eficaz, agendem uma consulta com um especialista na área.

Qual tratamento não indica-se para a fibromialgia?

Existem três classes de medicamentos que não indicamos no tratamento da fibromialgia, sendo elas:

  • Opioides: Pela fisiopatologia da doença e conforme comprovado em pesquisas, os remédios da família dos opioides não costumam ter um efeito bom na fibromialgia, com exceção de um. 

Não recomendamos o uso de remédios como morfina e codeína para tratar dores causadas pela fibromialgia. No entanto, o tramadol, com uma ação ligeiramente distinta, utiliza-se e indica-se para pessoas que sofrem com essa condição e têm dores mais intensas.

Nos casos de pacientes com dores mais fortes, a associação do tramadol com o paracetamol ou o uso do tramal de liberação lenta, são melhores. Dessa forma, o paciente controla a dor de forma mais eficaz, com menos tramadol e com isso, menos efeitos colaterais. 

  • Antidepressivos: Alguns medicamentos da classe dos antidepressivos não têm estudos suficientes ou não demostraram ter um efeito bom na dor crônica da fibromialgia, como a sertralina, a fluoxetina, a venlafaxina e a desvenlafaxina. Por isso, não recomendamos.
  • Anti-inflamatórios: Para a fibromialgia, também não recomendamos o uso dos anti-inflamatórios tanto não esteroidais quanto os esteroidais, que são os corticoides. Esses remédios costumam conter muitos efeitos colaterais e ter mais risco no uso prolongado, além disso, eles não têm efeito no tratamento da fibromialgia.

Sou o Dr. Oliver Ulson, médico ortopedista em São Paulo. Uma das minhas áreas de atuação é o tratamento para a fibromialgia.

Estou disposto a melhorar sua qualidade de vida!

Entre em contato