Formigamento nas Mãos: Principais causas e diagnósticos

Quase todo mundo já sentiu formigamento nas mãos alguma vez, como por exemplo ao dormir em cima do braço. Nessa situação, não é preocupante.

Mas, se você chegou a este artigo, provavelmente é porque esse formigamento pode estar te preocupando por já estar durando algum tempo, apresentar piora ou deve estar também te causando dor ou perda de força e até atrapalhando o seu sono ou seu trabalho, certo?

Com base nisso, neste artigo, baseado no meu vídeo do YouTube abaixo, eu explico as principais causas de formigamento nas mãos. Continue lendo!

Muitas vezes, os pacientes que apresentam esses formigamentos possuem mais de uma condição junta, como por exemplo, a síndrome do túnel do carpo junto com diabetes, a falta de vitamina B12, entre outros.

Caso os formigamentos das mãos sejam associados à mais de uma causa, é importante ter o diagnóstico de ambas, já que se não forem as duas tratadas, não é possível curar o problema.

Síndrome do Túnel do Carpo

A principal causa de formigamento nas mãos é a síndrome do túnel do carpo, que é síndrome compressiva de nervo periférico. 

Nessa síndrome, o nervo mediano fica comprimido, ou seja, apertado por alguma causa externa na região do punho chamada de túnel do carpo, e por conta disso a transmissão do impulso nervoso não funciona da forma correta.

Estes nervos transmitem as informações do cérebro para o resto do corpo, ou seja, eles que dão comando para nossos músculos movimentarem e, com isso, para o nosso corpo movimentar. Da mesma forma, eles captam as sensações e levam até o cérebro.

O nervo funciona como se fosse um fio elétrico, então o paciente que tem síndrome do túnel do carpo sente formigamento, dor, perda de força e atrofia muscular na mão, e perda de sensibilidade.

Quem é afetado pela síndrome do carpo?

A síndrome do túnel do carpo é muito mais comum em mulheres de meia idade, geralmente na faixa dos 50 anos para cima. A condição pode acontecer também em gestantes e pessoas que fazem muitos movimentos repetitivos ou esforços com os braços.

Na imagem abaixo, o nervo mediano está marcado em rosa. Já o túnel do carpo na seta amarela e o ligamento carpal transverso em verde, que é cortado na cirurgia para o tratamento da doença, quando não melhora com o tratamento conservador.

O formigamento da síndrome do túnel do carpo ocorre na região em vermelho, sinalizada na foto abaixo, já a atrofia muscular ocorre mais na base do polegar, nessa região em verde.

Geralmente, os sintomas pioram quando o paciente fica com o punho dobrado por 30 a 60 segundos. Este teste é chamado de teste de Phallen ou Phallen invertido. E é comum as pessoas ficarem nessa posição durante o sono, por isso é comum piorar os sintomas à noite ou quando faz movimentos repetitivos.

Além disso, o teste de Tinel, que é uma sensação de choque que irradia quando a gente dá uma batidinha com o dedo na região da lesão, também pode também ajudar no diagnóstico.

Diagnóstico da Síndrome do Túnel do Carpo

Além da história do paciente e exame clínico, o ortopedista responsável pode pedir uma eletroneuromiografia, que avalia a função do nervo, e um ultrassom ou ressonância, para ver a espessura do nervo e avaliar se tem alguma coisa dentro do túnel do carpo comprimindo, como um cisto sinovial, por exemplo.

Síndrome do Túnel Cubital

Caso o paciente apresente sintomas que não se assemelhem a síndrome do túnel do carpo, mas que vão mais na direção do dedinho, pode ser um caso de síndrome do túnel cubital, que é a compressão do nervo ulnar na região interna do cotovelo.

No meu consultório, particularmente, eu vejo essa síndrome afetar mais homens que trabalham muito em escritório, com celular e computador e pessoas que fazem bastante atividade física com movimentos de flexão do cotovelo, como treino de barra, puxadas e remadas, que podem ser desde uma musculação, luta ou kitesurf por exemplo.

Os sintomas da síndrome do túnel cubital apresentam piora com a flexão do cotovelo, e a região afetada pode se estender da mão até o antebraço, assim como a atrofia muscular.

Diagnóstico da Síndrome do Túnel Cubital

Para fazer o diagnóstico, é possível seguir a mesma linha de raciocínio da síndrome do túnel do carpo, inclusive através do uso do teste de Tinel. A história e exame clínico indicam a doença, já o ultrassom, ressonância e eletroneuromiografia complementam e confirmam nossa hipótese.

A hanseníase é uma condição que pode causar neuropatia do nervo ulnar e apresenta sintomas parecidos com a compressão. Porém a causa é diferente, neste caso, é o próprio nervo que está doente.

Lesão de Nervos Periféricos

Ambas as síndromes compressivas são as mais comuns nos membros superiores, mas podem acontecer lesões em outros nervos, causando formigamento nos braços em outras regiões.

O paciente com formigamento nas mãos pode estar sofrendo de uma lesão no nervo radial ou em algum de seus ramos, o que pode resultar também em sintomas como:  dificuldade para levantar o polegar e o punho e perda de sensibilidade na parte posterior da mão e do antebraço (em vermelho na imagem abaixo).

O nervo mediano e o ulnar podem apresentar compressão ou lesão em outras regiões, dessa forma, o diagnóstico é um pouco mais individualizado.

Se os sintomas não incluem formigamento, como os mencionados anteriormente, é importante investigar outras possíveis causas. Caso apresente sintomas de síndrome do túnel do carpo ou cubital sem uma causa clara, é crucial considerar essas outras condições e agendar uma consulta com um especialista o quanto antes.

Hérnia de disco e estenoses na coluna

Na hérnia de disco e nas estenoses na coluna, a compressão dos nervos acontece ao nível da coluna cervical. Esta compressão pode ocorrer por um disco intervertebral ou por uma artrose na coluna.

Os osteófitos, conhecidos como bico de papagaio, também podem comprimir a medula ou os nervos, levando as estenoses do canal e foraminal.

Em verde, os discos intervertebrais. Em amarelo, as raízes dos nervos.
Vista posterior, que mostra a medula espinhal (em verde), passando no meio do canal vertebral.

O paciente pode apresentar a compressão para dentro do canal, podendo comprimir toda a medula ou pode comprimir o forame, onde a raiz sai do nervo. Observe na imagem abaixo:

A ressonância cervical abaixo mostra a hérnia para dentro do canal, deixando-o mais estreito.

Já nas imagens abaixo, é possível ver uma ressonância lombar mostrando a diminuição do forame onde passa o nervo e notar a diferença de tamanho e como ficam estreitos. As setas amarelas indicam o normal, enquanto as verdes sinalizam a compressão.

Como os sintomas da compressão da coluna se apresentam?

Se o paciente apresenta compressão de toda a medula, ele pode referir alguns sintomas que incluem:

  • Formigamento;
  • Perda de força;
  • Perda de controle motor;
  • Sensibilidade no local da compressão para baixo.

Caso a compressão atinja apenas uma raiz nervosa, os sintomas se apresentarão na região que essa raiz inerva. Para maior clareza, veja abaixo as regiões do corpo inervadas por cada raiz nervosa da coluna.

É importante não confundir essas inervações com as dos nervos periféricos, pois representam aspectos distintos.

local atingido por compressão de inervações da coluna

Como é feito o diagnóstico da compressão da coluna?

Para diagnosticar as compressões de coluna, recomenda-se que seja feita uma avaliação que inclui a análise da história clínica do paciente, um exame físico detalhado e a realização de uma ressonância magnética. É possível identificar a localização e a natureza da compressão somente com estes exames.

Em alguns casos mais específicos, pode ser solicitada ainda uma eletroneuromiografia, mas é bastante raro.

Problemas na circulação

O formigamento por problemas na circulação geralmente afeta uma região mais abaixo do ponto onde tem a diminuição do fluxo de sangue em diante. Ele não respeita a região de cada nervo.

Além disso, a compressão das artérias causa mais formigamento do que das veias. Então o paciente pode apresentar a compressão:

  • Por alguma má formação vascular;
  • Alguma compressão externa ao vaso, como na síndrome do desfiladeiro torácico;
  • Pode ter uma obstrução no fluxo de sangue dentro do próprio vaso, como trombose ou aterosclerose, como ocorre no coração e nas carótidas.

Além disso, a causa pode ser o fenômeno de Reynaud, que ocorre quando o vaso contrai mais que o necessário no frio, diminuindo o fluxo sanguíneo para a mão. Na imagem abaixo é possível observar a diferença:

fenômeno de reynaud causa formigamento nas mãos

O paciente pode chegar a perder um dedo ou parte do corpo por causa da isquemia, ou seja, a falta de sangue. Nesses casos é fundamental procurar um cirurgião vascular ou ir a um pronto-socorro em caso de urgências.

Síndrome do Desfiladeiro Torácico

A síndrome do desfiladeiro torácico pode ser uma das causas de formigamento na mão resultante dos problemas na circulação.

Os pacientes com síndrome do desfiladeiro torácico podem apresentar formigamento nos membros superiores, perda de força e sensibilidade, em um único braço ou nos dois ao mesmo tempo.

Isso acontece por uma compressão dos nervos e vasos sanguíneos na região do pescoço, geralmente entre a clavícula e a primeira costela, ou entre os músculos, com0 na região ilustrada nas imagens.

a síndrome do desfiladeiro torácido pode ser uma das causas de formigamento nas mãos
a compressão de veias, nervos ou artérias pode causar formigamento nas mãos
a compressão de veias, nervos ou artérias pode causar formigamento nas mãos

Os sintomas podem se diferenciar de acordo com o tipo de compressão, se é dos nervos, de veias ou artérias. Como:

Compressão de veia: Quando este tipo se apresenta, o braço costuma ficar mais inchado e com cor mais escura.

Compressão arterial: Em casos mais isolados, o braço do paciente com compressão arterial apresenta palidez e não fica inchado.

Como é diagnosticada a síndrome do desfiladeiro torácico?

O diagnóstico da síndrome do desfiladeiro torácico é um desafio, pois muitas vezes os pacientes só apresentam sintomas quando fazem esforços. Os resultados se apresentam normais em exames como a ressonância ou eletroneuromiografia.

Portanto, é preciso avaliar a história e o exame clínico do paciente, pois existem manobras específicas que mostram a diminuição do pulso no braço, como o teste de Adson e a manobra de Roos.

No entanto, na avaliação inicial é importante fazer os exames de ressonância e as vezes a eletroneuromiografia para excluir outras causas. Caso não seja constatada nenhuma alteração, os exames indicados podem ser o ultrassom doppler e a angiografia, para checar causas vasculares.

O raio-X ou a tomografia também podem ser úteis caso o paciente apresente uma costela a mais ou alguma coisa comprimindo essas estruturas.

Neuropatia e formigamento nos membros

Diversas condições sistêmicas podem provocar formigamento nas mãos e nos pés devido à neuropatia, que é caracterizada pelo funcionamento inadequado dos nervos. Estas doenças podem agravar os sintomas de condições pré-existentes, como a síndrome do túnel do carpo e a hérnia de disco.

Neuropatia no diabetes

É fato que o excesso de açúcar no sangue leva a uma série de problemas no nosso organismo. No caso dos nervos, o açúcar em excesso é tóxico, assim como os seus produtos e radicais livres formados, por conta da hiperglicemia.

O açúcar em excesso leva à transformação e acúmulo de sorbitol e frutose dentro do nervo piorando a neuropatia. Além disso, o diabetes leva à lesão de pequenos vasos sanguíneos, prejudicando a circulação dos nervos e agravando ainda mais o problema.

O paciente diabético é inflamado cronicamente, piorando todas essas lesões.

A neuropatia diabética ocorre em um estágio mais crônico da doença e atinge, principalmente, pacientes que não controlam direito a glicemia.

Quais os sintomas que indicam a neuropatia no diabetes?

Um paciente diabético deve buscar ajuda de um endocrinologista para tratar corretamente a hiperglicemia caso apresente sintomas como formigamento e perda de sensibilidade na mão ou nos pés.

Como é possível tratar a neuropatia?

É possível tratar a neuropatia com remédios, como a pregabalina e a gabapentina e suplementação vitamínica. Já a vitamina E, e algumas vitaminas do complexo B, como a B1, B3, B6 e B12, também são fundamentais para o funcionamento do nervo. Saiba mais:

  • Vitamina B12: Esta vitamina é importante para a formação da bainha de mielina, uma capa que fica em volta dos nervos. A falta de B12 é geralmente frequente em pacientes que não comem carne, os que fizeram cirurgia gastrointestinal e quem usa por muito tempo remédios para a gastrite, como omeprazol e outros da mesma família.
  • Vitamina B1: Esta vitamina é relevante para a produção de energia e para função dos nervos, assim como a B3.
  • Vitamina B6: É importante para a produção de neurotransmissores;
  • Vitamina E: É um importante antioxidante, protegendo o nervo contra radicais livres.

Quem apresenta a falta de vitaminas?

A carência da B1, B3 e B6 é mais comum em pacientes desnutridos, doenças digestivas crônicas e o alcoolismo crônico.

Já a falta da vitamina E é mais comum em desnutrição e pacientes que não comem nada de gordura, ou não digerem e absorvem a gordura direito. Por exemplo, pacientes com doença no fígado ou que tiraram a vesícula.

A vitamina B12, além de ser a mais conhecida, é a mais comum do paciente ter carência. Já as outras são menos frequentes em pessoas saudáveis.

Aliás, se você quiser saber mais sobre essas vitaminas, confira o vídeo do meu canal sobre o Complexo B. Nele, eu explico detalhadamente sobre cada uma e suas funções.

Quais são os impactos da falta de vitamina nos pacientes?

Honestamente, conheço poucos casos de pacientes com neuropatia e formigamento só pela falta dessas vitaminas. Mas observo com frequência pacientes que tem outro tipo de neuropatia, como a síndrome do túnel do carpo, hérnia de disco e diabetes, em que a falta dessas vitaminas piora muito os sintomas.

Então, recomendo com frequência um complexo B para pacientes com neuropatia e alguns melhoram bastante.

a falta de vitaminas pode acarretar em formigamento nas mãos

Artrite reumatoide e o formigamento nas mãos

A artrite reumatoide não é uma doença autoimune que afeta as articulações?

Sim, mas esta condição também afeta outros tecidos saudáveis, como os tendões e, por incrível que pareça, pode levar a neuropatias.

Isso acontece por várias razões: o paciente com artrite reumatoide, pode ter deformidades nas articulações, inflamação do tecido sinovial (que é a membrana que produz líquidos nas articulações e em alguns tendões), levando a tenossinovites e formação de nódulos.

Todos esses fatores podem comprimir um nervo, causando por exemplo, síndrome do túnel do carpo.

Além disso, assim como na diabetes, a artrite reumatoide pode causar inflamação nos vasos, prejudicando a circulação para os nervos e causando inflamação sistêmica, o que piora a inflamação nos nervos.

Os medicamentos neurotóxicos

A artrite reumatoide pode requerer o uso de medicamentos neurotóxicos, que também são uma causa de formigamento nas mãos.

Existem muitas substâncias que podem ser tóxicas para os nervos, levando à neuropatia, muitas delas dependem de uma exposição ou uso crônico, por isso é preciso tomar cuidado. Algumas delas são:

  • Quimioterapias;
  • Antibióticos;
  • Remédios para o HIV;
  • Metais pesados;
  • Solventes;
  • Produtos químicos;
  • Pesticidas;
  • Drogas ilícitas;
  • Álcool.

Certa vez, recebi no meu consultório uma paciente de cerca de 50 anos que se queixava de formigamento nas mãos. Inicialmente, poderia parecer um caso típico de síndrome do túnel do carpo. No entanto, após um exame mais detalhado, notei que o formigamento se estendia a todos os dedos, incluindo o dedo mínimo.

Além disso, o paciente também apresentava uma sensibilidade reduzida nos pés. Isso me levou a suspeitar que o problema não era a síndrome do túnel do carpo, mas sim algum tipo de neuropatia. Conversando mais com ela, descobri que não tinha diabetes, mas estava tratando um câncer de mama e usando um remédio em específico.

Eu não conhecia direito o remédio, mas suspeitei que podia ser a causa. Pesquisei rapidamente por artigos científicos e encontrei relatos de pacientes com neuropatia pelo uso. Dessa forma, começamos um tratamento com reposição do complexo B e pregabalina. Quatro semanas depois, ela já sentia melhora.

Por isso, é ideal sempre prestar atenção, no que está tomando, pois até o álcool em excesso, pode levar à neuropatia.

Estresse e ansiedade

Pouca atenção é dada a isso, mas o estresse e a ansiedade comumente também são causas de formigamentos nas mãos. É importante destacar que, embora algumas pessoas possam acreditar que essas sensações são fingidas ou uma forma de exagero, na realidade, elas representam manifestações físicas de condições psicológicas sérias.

Ansiedade causa formigamento nas mãos?

Sim! Na realidade, pacientes enfrentando uma crise de ansiedade ou ataques de pânico apresentam razões fisiológicas para experimentar formigamento nas mãos, pés e, às vezes, no rosto. Esse fenômeno ocorre porque, diante de situações de estresse ou ansiedade, nosso corpo ativa o modo de ‘luta ou fuga’, preparando-se para uma resposta rápida.

Consequentemente, o fenômeno ativa nosso sistema nervoso simpático que é involuntário, ou seja, não tem controle, liberando adrenalina e noradrenalina. Um dos efeitos do aumento desses hormônios na circulação é justamente o formigamento nas extremidades.

Além disso, durante um ataque de ansiedade, é comum que algumas pessoas comecem a hiperventilar, um fenômeno que pode ser reconhecido até mesmo em cenas de filmes, onde os personagens recorrem a respirar dentro de um saco para tentar se acalmar. A hiperventilação pode diminuir os níveis de dióxido de carbono no sangue, também causando formigamento nas mãos, nos pés e até nos lábios.

Por que o estresse causa formigamento nas mãos?

Sob estresse, nosso corpo muda o fluxo do sangue para os lugares mais importantes, como músculos e órgãos vitais. Sendo assim, as mãos podem receber menos sangue temporariamente, o que pode causar uma sensação de frio e formigamento.

Além disso, o estresse e a ansiedade também podem levar a uma tensão muscular, principalmente nos ombros, pescoço e braços. Consequentemente, os nervos ou vasos sanguíneos podem ser pressionados, levando ao formigamento nas mãos, como na síndrome do desfiladeiro torácico.

Mas e o efeito psicológico existe também?

Dependendo da sua interpretação, pode se dizer que sim.

Em vídeos anteriores sobre dor crônica, expliquei que é possível observar que pacientes com ansiedade ou depressão têm uma desregulação na percepção das sensações. Assim, eles podem sentir o formigamento, que normalmente seria imperceptível, de maneira mais intensa.

O termo médico para isso é somatização, ou seja, problemas psicológicos levam a mudanças físicas no nosso corpo.

Qual a diferença da somatização para o psicossomático?

No caso da somatização não existe uma doença física que leva a esses sintomas, já a psicossomática existe e esses sintomas são piorados pelo fator emocional.


Espero que este artigo tenha sido útil para elucidar mais sobre as diferentes causas dos formigamentos nas mãos e porque é importante obter um diagnóstico adequado para tratá-los adequadamente. Como vocês viram, a medicina nunca é tão óbvia quanto se imagina. Por isso, existe tanta diferença entre uma consulta de um médico para outro.

No meu canal no YouTube, eu explico mais sobre estes sintomas e outras condições que podem estar relacionadas a Ortopedia e busco tirar todas as dúvidas dos meus pacientes.

Caso você note que seus sintomas talvez possam estar associados a condições ortopédicas, não hesite em agendar uma avaliação o mais rápido possível. Sou o Dr. Oliver Ulson, médico ortopedista e posso te ajudar no tratamento de dores e outros sintomas, como através da Terapia com Ondas de Choque.