As fraturas da coluna vertebral podem ou não ser resultado de trauma. A grande maioria das fraturas na coluna são por compressão, esse tipo de fratura é muito comum de ocorrer em pacientes idosos que possuem osteoporose ou osteopenia.

A maioria das fraturas na coluna estão localizadas na região tóraco-lombar, e ocorrem em pacientes com mais de 60 anos de idade, que possuem uma diminuição no cálcio dos ossos.

O tabagismo crônico, doenças reumáticas, a menopausa, o diabetes e também o uso de algumas medicações são fatores que aumentam o risco de se ocorrer uma fratura

A gravidade da fratura de coluna está relacionada á quantidade de estruturas anatômicas que foram comprometidas. Além de veias, artérias e nervos, estruturas como a medula espinhal, os discos intravertebrais, músculos e ligamentos também podem ser afetados.

As fraturas mais graves costumam ser resultados de traumas e afetam diversas das estruturas presentes na coluna,  podendo gerar graves sequelas para o paciente.

As fraturas da coluna podem ser classificadas em três tipos:  fraturas em flexão, separadas em compressão ou explosão; fraturas em extensão como a de flexão-distração; e a fratura em rotação.

Sintomas

O principal sintoma é a dor, essa pode ser súbita, ou também crônica e enfraquecedora. Podem também ocorrer espasmos e contratura muscular.

Pode ocorrer dormência e /ou formigamento (parestesia) em algum membro, quando se há lesão em algum nervo (déficit neurológico). Em casos mais graves, pode haver perda de sensibilidade tátil, e déficit motor parcial ou total dos membros.

Além disso, alterações na evacuação e/ou micção podem ocorrer, tanto retenção urinária e constipação, quanto incontinência.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de uma anamnese e  exame clínico, seguido de exame por imagens para confirmar a fratura e também poder identificar qual é o tipo de fratura que ocorreu.

No caso de fraturas mais simples, benignas, o raio-x costuma ser o suficiente para identificar a fratura e poder iniciar o tratamento.

Em casos mais complexos, onde existe também lesão em outras estruturas da coluna, é necessário a utilização de exames mais detalhados, como a ressonância magnética, a tomografia computadorizada e a cintilografia óssea.

O diagnóstico detalhado é fundamental para que o cirurgião ortopedista possa decidir qual é o tratamento adequado para recuperação da lesão ocorrida.

Tratamento

O tratamento vai variar conforme o tipo de fratura na coluna e sua gravidade, ou seja, quais outras estruturas da coluna vertebral, além do osso, foram afetadas.

O tratamento conservador, não cirurgico é indicado para fraturas estáveis, sem sintomas neurológicos. O uso de medicamentos para tratar a dor e a inflamação é acompanhado do uso de colete, responsável por manter a coluna em uma posição ideal.

O tipo de colete utilizado vai depender do tipo e local da fratura. Ele precisa ser usado durante o dia, porém pode ser retirado para o sono. Em geral a cicatrização da fratura ocorre em até 3 meses

Em alguns casos, a intervenção cirurgica se faz necessária. O tipo de intervenção vai depender conforme a gravidade e o tipo de lesão. Podemos separar as intervenções em minimamente invasivas, ou cirurgias abertas.

As opções que temos de cirurgias minimamente invasivas são:

-Cifoplastia: onde se faz a inserção de cimento ósseo no interior da vértebra fraturada, causando alívio da dor e estabilização do osso. É um aintervenção bastante simples e rápida de se fazer e o paciente costuma ter alta em um dia.

-Fixação percutânea: nesta técnnica se faz a utilização de parafusos nas vertebrasacima e abaixo da fraturada, de modo que se mantenha a estabilidade da coluna e haja a consolidação da fratura.

As cirurgias abertas tradicionais são utilizadas em casos graves de fraturas mais complexas, em geral em fraturas rotacionais, onde se é necessário também o tratamento de outras estruturas da coluna vertebral, como nervos, veias e ligamentos.

Conclusão

Caso você seja um paciente de risco e está sentindo alguma dor ou desconforto constante nas costas, entre em contato com um ortopedista pois você pode estar com um problema mais  grave do que uma simples dor ou mal jeito.

Se ficou com alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão, ou alguma colocação, escreva abaixo nos comentários. Agora, se gostaria de agendar uma consulta, ficarei feliz em poder ajudar.

Agora se necessita agendar uma consulta, atendo como ortopedista em São Paulo (Itaim Bibi e Higienópolis) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba) e por telemedicina.

REFERÊNCIAS:

Fixação Percutanea

Traumas na Coluna (inglês)