Introdução às Hérnias de Disco

A Hérnia de Disco é uma condição médica relacionada a um problema com um dos discos cartilaginosos que ficam entre as vertebras da coluna. Ele ocorre quando o núcleo do disco se desloca de sua posição original. As hérnias de disco podem, ou não causar sintomas.

Pacientes com dores irradiadas pelos membros superiores e inferiores frequentemente apresentam algum tipo de compressão de raízes nervosas/nervos periféricos ou processo inflamatório dos mesmos.

Ao nível microscópico, as raízes nervosas e os nervos são formados pela união de axônios dos neurônios da coluna, na forma de feixes. Ao nível macroscópico, inicialmente saem raízes nervosas da coluna, estas se unem formando os nervos periféricos.

Neste artigo vamos abordar:

O termo radiculopatia se refere às doenças que causam algum tipo de lesão/compressão das raízes nervosas, cursando com dor. A exemplo, temos a hérnia de disco lombar e hérnia de disco cervical.

O termo síndrome compressiva, também se relaciona a algum tipo de compressão nervosa cursando com dor. Entretanto, neste caso, são lesões mais periféricas que comprimem os nervos periféricos. A exemplo, temos a ciatalgia (inflamação do nervo ciático), que pode ter origem de uma compressão do músculo piriforme, situado no quadril.

Ambas as doenças apresentam relevância significativa, pois têm uma demanda crescente no pronto-socorro ortopédico bem como em consultórios médicos. Limitam a produtividade no trabalho e atividades físicas.

Medico Anotando

Hérnia de disco, o que é?

O disco intervertebral, como o próprio nome diz, está situado entre dois corpos vertebrais. Ele exerce a função de absorver o impacto e permitir mobilidade entre as vértebras. É composto pelo ânulo fibroso (anel fibroso periférico) e em seu interior, o núcleo pulposo (tecido amolecido, que absorve o impacto).

Quando ocorre algum desequilíbrio entre a estabilidade da coluna e a sobrecarga sobre ela, ou ainda algum tipo de disfunção no disco, pode ocorrer a herniação do núcleo.

A hérnia de disco ocorre quando o ânulo fibroso rompe e o núcleo sai podendo comprimir a medula ou as raízes nervosas. Existe um grau menor de lesão chamado de protrusão, caso este, em que o ânulo se projeta para dentro do canal, sem uma ruptura total.

Sintomas

Os pacientes com hérnia discal lombar ou cervical sem tratamento, apresenta-se com dores na região da coluna e sintomas radiculares, ou seja, dores irradiadas para o membro superior, no caso da cervical, e inferior no caso da lombar.

Os sintomas são em sua maioria unilaterais, mas nos casos de hérnia de disco lombar /cervical maiores e centromedulares (no centro do canal medular) podem comprimir as raízes nervosas de ambos os lados.

No exame físico, procuramos testes de provocação, com o estiramento ou compressão das respectivas raízes. Alguns deles, Spurling utilizado para hérnia de disco cervical, Frost e Laseguè para o nervo ciático e raízes mais baixas, e o teste de Nachlas para raízes lombares altas/ nervo femoral.

Os pacientes frequentemente referem piora da dor com a flexão do tronco.

Quando a hérnia de disco é grave

Nos estágios mais graves da compressão pela hérnia de disco podemos observar perda de força nos músculos inervados pela respectiva raiz nervosa. Os sintomas acompanham o local de inervação da pele e a musculatura da raiz afetada, diferentemente das compressões periféricas que correspondem à inervação de um nervo.

Precisamos ficar atentos aos sinais de anestesia nas partes íntimas e alterações nos hábitos urinários e evacuação, pelo risco de uma síndrome da cauda equina (compressão de todas as raízes nervosas baixas). Considerado um dos estágios mais graves das hérnias.

Evolução da héria de disco

Classificação De Hérnias Discais A Normal, B Protrusão, C Extrusão, D Sequestrada

Exames

São solicitadas radiografias e a ressonância magnética. A radiografia é utilizada para analisar alterações grosseiras, ósseas e desalinhamentos, além de ser um exame de fácil acesso, rápido e barato.

O padrão-ouro para o diagnóstico da hérnia discal lombar e cervical é a ressonância magnética, que evidencia com clareza as partes moles como o disco e as raízes nervosas.

Tratamento

O principal fator para a escolha do tratamento da hérnia discal lombar ou cervical está relacionado aos sintomas do paciente. O tratamento vai desde opções medicamentosas, reabilitação e acupuntura até medidas mais invasivas como cirurgias.

Inicialmente, para a grande maioria dos pacientes, nos quadros agudos são prescritas medicações antiinflamatórias (hormonais e não-hormonais) em associação com relaxantes musculares e vitaminas do complexo B. Os analgésicos também devem ser associados nos acasos em que estes fármacos não são suficientes.

Casos onde não houve melhora com o tratamento farmacológico ou casos crônicos, deve-se indicar medidas de terapia física como Pilates, RPG e a própria fisioterapia, visando fortalecer a musculatura estabilizadora da coluna, melhora da mobilidade e da dor.

Ainda no tratamento conservador, utilizamos de forma eficiente a acupuntura com efeito positivo nestes pacientes. De opções farmacológicas, temos medicações antidepressivas e anticonvulsivantes, que têm eficácia comprovada para o tratamento da dor crônica.

Outras medidas que auxiliam no tratamento e prevenção dos sintomas são a perda de peso e correção de vícios posturais, seja no trabalho, atividades físicas e nas demais atividades do cotidiano.

Após a remissão dos sintomas é imprescindível que os pacientes com hérnia de disco lombar ou cervical mantenham um tratamento preventivo com fisioterapia, controle do peso e correção dos hábitos de vida.

Para aqueles pacientes onde não houve melhora dos sintomas após o tratamento conservador adequado e apresentam sintomas bem definidos da radiculopatia, compatíveis com os exames de imagem, está indicado o tratamento cirúrgico visando a descompressão ou infiltrações para diminuição do processo inflamatório e doloroso.

Locais De Bloqueio Da Coluna Lombar

Locais De Bloqueio Da Coluna Lombar

Pacientes com hérnias discais traumáticas agudas com compressão significativa e sintomas mais severos como a síndrome da cauda equina ou déficit motor agudo, deve-se realizar a descompressão cirúrgica, preferencialmente em caráter de urgência.

A cirurgia de descompressão tem como objetivo tratar os sintomas radiculares, ou seja, formigamento nos membros, perda de sensibilidade e força muscular. Ela não tem como objetivo tratar a dor localizada na coluna.

O tratamento cirúrgico apresenta seus riscos e deve ser evitado, quando possível. Estudos mais atuais, com acompanhamento de longo prazo, concluíram que os sintomas dos pacientes com hérnia discal lombar submetidos ao tratamento cirúrgico foram semelhantes aos que realizaram o tratamento conservador, após aproximadamente oito anos. Esse fenômeno ocorre, pois muitas dessas hérnias são reabsorvidas com o tempo.

Outra opção que vêm sendo indicada com bons resultados é a infiltração da coluna, esta técnica permite eliminar a dor na coluna e no nervo através da injeção de medicamentos. Com a melhora da dor o paciente consegue realizar as outras medidas terapêuticas, para tratar o problema. Em casos mais graves, não tem indicação, devendo-se realizar a descompressão, comentada anteriormente.

Caso apresente algum desses sintomas agende uma consulta já, quanto mais precoce o tratamento, melhores serão os resultados. Veja também o artigo sobre lombalgia.

Se você gostou do artigo, ficou com alguma dúvida ou gostaria de sugerir algum tema, escreva nos comentários abaixo, e se você teve algum tipo de fratura ou outra lesão traumática e gostaria de agendar uma consulta entre em contato com a clínica e agende uma consulta comigo, Dr Oliver Ulson, ficarei feliz em poder ajudar.

Hérnia de disco na L5 E Bloqueio Da Raiz

Contraste na raiz de L5 e bloqueio da raiz

Referências: 

Hérnia Discal Lombar

Hérnia de Disco: simtonas e causas (em inglês)

Hérnia de Disco: Diagnóstico e tratamentos (em inglês)