Passiflora Incarnata (Maracujina, Sintocalmy): para que SERVE e COMO USAR!

Olá! Tudo bem com você?

Aqui é o doutor Oliver, e estou de volta para compartilhar mais informações sobre plantas medicinais e substâncias benéficas para a nossa saúde.

No artigo de hoje, vamos falar sobre a Passiflora incarnata, conhecida popularmente como maracujá silvestre ou flor da paixão.

A passiflora é uma planta usada em vários remédios fitoterápicos, como a Maracujina, Sintocalmy, Pasalix e Seakalm, mas será que eles funcionam mesmo?

Então nesse artigo, vou explicar tudo sobre a Passiflora incarnata: o que é, para que serve, como age no organismo, quais os possíveis efeitos colaterais e as diferentes formas de utilizá-la como planta medicinal.

Fica comigo neste artigo que está bem interessante e pode te ajudar bastante.

Se preferir ver na forma de vídeo, este é um texto adaptado de um vídeo publicado no meu canal do YouTube:

Então, vamos lá?

O que é a Passiflora incarnata e quais seus benefícios?

A Passiflora incarnata é uma planta nativa da América do Norte, conhecida pelas suas flores exóticas e vistosas. Seus principais benefícios incluem o alívio de ansiedade, insônia e estresse, além de ajudar a controlar espasmos musculares, dores de cabeça tensionais e outras dores crônicas.

Assim, a Passiflora incarnata tem sido estudada principalmente por sua ação sobre o sistema nervoso central. A planta é usada pelos indígenas há muitos anos por suas propriedades sedativas, ansiolíticas e antiespasmódicas.

Existem também estudos mostrando melhora dos sintomas da menopausa em mulheres e nos homens, pode ajudar em alguns casos de dificuldade de ereção.

Aqui vai outro uso bem interessante: a passiflora pode ser usada para melhorar os sintomas na síndrome de abstinência de opioides e benzodiazepínicos, como pessoas tentando se libertar do vício em codeína, Tramal, morfina, Rivotril, Diazepam, Frontal, entre outros.

Mas como ela age no organismo?

A parte usada do maracujá silvestre para fazer o extrato de passiflora para uso medicinal é a folha, não o fruto.

Aqui só para diferenciar, o maracujá amarelo é a Passiflora edulis e o maracujá silvestre é a Passiflora incarnata, ou seja, o efeito não é o mesmo do suco de maracujá.

A Passiflora incarnata têm vários compostos bioativos, como flavonoides, alcaloides e glicosídeos, e eles agem em conjunto para proporcionar seus efeitos sedativos e relaxantes.

Conforme já foi comprovado em estudos científicos, esses compostos agem modulando a atividade de neurotransmissores, como a serotonina e o ácido gama-aminobutírico (GABA), que estão envolvidos na regulação do humor, do sono e da resposta ao estresse.

Só para deixar mais claro, neurotransmissores são substâncias que servem para os neurônios conversarem entre si.

Nas pessoas com ansiedade esses neurônios hiperexcitados, ou seja, ficam mais sensíveis aos estímulos, igual criança quando como muito doce!

Esse neurotransmissor GABA é responsável para diminuir esse efeito excitatório no cérebro. Assim, esses flavonoides que têm na passiflora, controlam a concentração do GABA, aumentando sua quantidade, diminuindo a atividade do sistema nervoso, acalmando a pessoa.

Assim, o efeito da passiflora é parecido com o mecanismo de ação do Rivotril, do Diazepan e do Frontal, mas é mais leve.

Agora, antes de falar como que usa a passiflora, vamos falar um pouco sobre os possíveis efeitos colaterais e riscos.

Efeitos colaterais e riscos do uso da passiflora

Apesar da Passiflora incarnata ser considerada segura, algumas pessoas podem ter efeitos colaterais como sonolência, tontura, náuseas e vômitos, principalmente se consumida em grandes quantidades.

Além disso, é importante ressaltar que mais pesquisas são necessárias para determinar a segurança do uso da Passiflora incarnata a longo prazo. Geralmente se orienta um uso contínuo, por volta de até 3 meses.

E como utilizar a Passiflora como planta medicinal?

A Passiflora incarnata pode ser encontrada em diferentes formas, como chás, tinturas, cápsulas e comprimidos.

Para preparar o chá, utilize cerca de uma colher de chá de folhas secas para cada xícara de água fervente. Deixe em infusão por 5 a 10 minutos e coe antes de beber.

Geralmente indica-se para tomar uma hora antes de dormir, principalmente se for para insônia.

Pra ansiedade, ela costuma fazer efeito após uma semana de uso contínuo.

Eu particularmente prefiro usar em cápsulas, porque a gente sabe exatamente a quantidade do remédio que está tomando, assim, o risco de efeitos colaterais é menor além disso, é mais prático no dia a dia.

A dosagem indicada é de 200 a 1000mg por dia do extrato da passiflora.

Assim, você pode tomar 1 a 2 comprimidos por dia de Sintocalmy, Maracujina, Pasalix ou Seakalm.

Pode ainda mandar manipular com outros remédios, como por exemplo, a Ashwagandha, que é outro fitoterápico bom para a ansiedade e insônia, que eu falo mais em outro artigo. Vale à pena conferir depois.

Agora que eu expliquei o geral da passiflora, vou entrar em mais detalhes com algumas observações muito importantes que você precisa saber, antes de gastar seu dinheiro.

Mas antes, se você gosta desse tipo de conteúdo, gostaria de convidar para se inscrever no meu canal do YouTube, e compartilhar esse artigo com amigos e familiares.

Então continuando,

Primeira coisa que você precisa saber antes de tomar a passiflora, é se você pode tomar ela ou não.

A passiflora não deve ser usada por gestantes, mulheres amamentando ou crianças. Isso porque tem poucos estudos comprovando a segurança nessas pessoas, além disso, acredita-se que ela pode aumentar a contração uterina nas gestantes.

A passiflora pode ter interação com outros remédios e pode piorar algumas doenças. Como por exemplo, remédios para depressão, anticoagulantes e pessoas com arritmias. Essas precisam ter mais cuidado, pois podem aumentar seus efeitos.

Além disso, muita atenção! Não se deve misturar com o álcool porque potencializa os efeitos, muito cuidado!

Como é um remédio sedativo, não deve ser usada por operadores de máquinas pesadas e ao dirigir veículos, se você não está acostumado com o remédio.

Outra coisa muito importante, como é um remédio fitoterápico com efeito mais fraco, que os outros, como o Rivotril, Diazepam e Frontal, ele é mais indicado para os sintomas leves da ansiedade, estresse, insônia, dor crônica e menopausa.

Para quadros mais graves, como transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, depressão, síndrome do pânico e outras doenças psiquiátricas mais graves, ela não é suficiente.

Nesses casos é necessário um acompanhamento com um psiquiatra, uso de remédios específicos mais “fortes” e outras terapias complementares.

Geralmente a passiflora é indicada para pessoas passando por algum momento de maior estresse na vida, que seja passageiro, ajudando a passar por essa fase.

Outra observação interessante para os homens, os estudos para impotência são poucos, mas ela pode ajudar principalmente quando é relacionada a uma questão emocional, que é a principal causa em homens com menos de 40 anos.

Mais uma coisa que eu tenho sempre que lembrar.

A dosagem recomendada da Passiflora, varia de acordo com a forma de apresentação e o objetivo do tratamento, por isso é importante procurar por fornecedor confiável, seguir as orientações do fabricante e consultar um profissional de saúde antes do uso, principalmente se você tem algum outro problema de saúde.

Portanto, é sempre aconselhável procurar orientação médica antes de optar pelo uso da Passiflora incarnata para esse fim.

Eu, como sou ortopedista, acabo indicando mais a passiflora nos meus pacientes com dor crônica associada aos quadros de ansiedade leve e insônia.

Aliás, eu mesmo uso às vezes, para esse fim.

Espero que tenham gostado deste artigo.

Agora, convido para ver outros artigos no meu blog e se precisar de um ortopedista, atendo em São Paulo e Alphaville (Barueri).

Agende uma consulta.

Um grande abraço e até a próxima!