Terapia de ondas de choque para epicondilite

Resultados rápidos, efeitos duradouros, alternativa não invasiva e sem necessidade de medicamentos e anestesia.

Estas são algumas das qualidades da terapia de ondas de choque, método amplamente difundido nos Estados Unidos e na Europa e que vem sendo cada vez mais utilizado pela ortopedia aqui no Brasil a fim de combater diversas lesões, entre elas, a epicondilite.

Mas antes de falar sobre o moderno e eficaz tratamento, precisamos entender melhor o que é esta patologia de nome curioso e suas causas.

O que é a Epicondilite

O cotovelo, como todos sabem, é o grande responsável por ações muito comuns no nosso dia-a-dia. Entre elas, escovar os dentes, digitar no computador e manusear o telefone celular.

Outros gestos que só conseguimos fazer graças a esta articulação, mas que exigem um pouco mais de esforço, são erguer, empurrar e arremessar um objeto.

No entanto, independentemente se leves ou pesados, tais movimentos, se praticados intensa e exaustivamente, podem levar a junção a sofrer com diferentes tipos de distúrbios. E um deles é a epicondilite, que pode ser do tipo medial ou lateral.

A patologia é chamada assim porque inflama os epicôndilos, nome dado às saliências ósseas localizadas na extremidade inferior do úmero, o osso do braço. Laterais quando localizados na parte externa do cotovelo e medial quando na interna, são eles que estendem os músculos do antebraço entre o punho e os tendões do cotovelo.

E quando há sobrecarga sobre estas extremidades – principalmente em atividades que utilizem equipamentos e necessitem de impulsos realizados com os cotovelos – o resultado é dor.

Embora conhecidas popularmente como tendinites do tenista e golfista, as epicondilite lateral e medial não acometem somente atletas.

O gatilho para a doença pode, sim, ser a prática de modalidades como o próprio tênis, golf e o baseball, mas também, como dito acima, outras atividades cotidianas praticadas repetidamente, como a digitação.

Os pacientes – geralmente, pessoas entre 30 e 40 anos – podem sofrer com dores no lado externo do cotovelo, ao virar a mão para cima; dor durante gestos como aperto de mão, abrir a porta, pentear o cabelo, escrever ou digitar; dor irradiando para o antebraço; e redução na força do braço e/ou do punho.

Faixa Para Epicondilite

Como tratar a Epicondilite Medial e Lateral

Diante destes sintomas, é importante que o indivíduo procure um ortopedista, que deverá indicar o tratamento mais adequado.

Inicialmente, são receitadas medicação com anti-inflamatórios (ibuprofeno) e pomada (Diclofenaco) por cerca de sete dias, ou até mesmo injeções de corticoide, caso seja necessário.

Além dos medicamentos, podem ser recomendados também fisioterapia com exercícios de alongamento e fortalecimento; modificação e correção da atividade física; e uso de compressas de gelo e kinesio taping (espécie de bandagem muito usada por atletas).

Em média, aproximadamente 40% dos pacientes alcançam o resultado desejado com estes métodos, o que não costuma acontecer em casos crônicos, que persistem por mais de seis meses, sem evolução no quadro.

Nestas situações, a terapia de ondas de choque podem ser a alternativa mais eficaz.

Como é feito o Tratamento por Ondas de Choque na epicondilite

Em seu próprio consultório, o ortopedista – desde que esteja habilitado para operar tal técnica – aplica à região lesionada – no caso, o cotovelo – um aparelho emissor de ondas de acústicas mais potentes do que os da técnica tradicional (são três as formas de geração de ondas: eletromagnética, eletro-hidráulica e piezoelétrica).

Com o auxílio de uma aplicação de gel no local – que aumenta a eficiência da técnica – a terapia de ondas de choque libera óxido nítrico e fatores de crescimento e diferenciação celular, o que ajuda a reduzir a inflamação, e aumenta a neovascularização e a angiogênese, estimulando, assim, a regeneração tecidual.

Com aproximadamente 10 minutos de duração, o procedimento é pouco doloroso e requer anestesia local só em casos de dores mais agudas.

Geralmente, para se chegar a resultados satisfatórios, são recomendadas entre três e cinco sessões, com 07 a 15 dias de intervalo entre uma e outra, e repouso parcial, sem a prática de atividades físicas intensas, neste período.

Especialistas apontam que em pacientes de epicondilite lateral e medial, chega a 85% a taxa de quadros considerados revertidos graças à terapia de ondas de choque.

Nos outros casos, a intensidade das dores é reduzida mais de 60%, com manutenção dos resultados por pelo menos 6 meses.

Terapia De Ondas De Choque Para Epicondilite

Fonte: BTL

Conclusão

O tratamento por ondas de choque acústica é mais um tratamento disponível ao ortopedista que veio para curar, de forma não invasiva, situações crônicas e graves de epicondilite lateral e medial que, em outros tempos, seriam tratados com operações.

Espero que tenha colaborado no entendimento da tendinopatia patelar e sua relação com a terapia de ondas de choque.

Se ficou com alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão, ou alguma colocação, escreva abaixo nos comentários. Agora, se gostaria de agendar uma consulta, ficarei feliz em poder ajudar.

Ficarei feliz em poder lhe ajudar. Agora se necessita de agendar uma consulta, atendo como ortopedista em São Paulo (Itaim Bibi e Higienópolis) e Alphaville (Barueri / Santana de Parnaíba) e por telemedicina.

Referências:

-Tratamento por ondas de choque nas doenças musculoesqueléticas

-Efetividade da Terapia de Ondas de Choque para Epicondilite Lateral

Sociedade Internacional do Tratamento de Ondas de Choque