Tudo o que você precisa saber sobre o Colágeno

Você provavelmente já se perguntou o que é o Colágeno Verisol, tipo muito falado por aí, ou qual a importância da vitamina C para o colágeno, ou até mesmo quando você deve suplementá-lo para articulações, ossos e pele, certo?

É importante compreender os benefícios das receitas caseiras de colágeno e explorar outras opções de tratamento para estimular a produção de colágeno de maneira mais eficaz, que não partam necessariamente do uso de suplementos que são muito vendidos e propagados.

Neste artigo, baseado no meu vídeo do YouTube, abordarei as principais dúvidas sobre o colágeno, esclarecendo se o tipo de colágeno que você está usando é adequado ou não, qual a diferença entre estes tipos e mais detalhes. Boa leitura!

O que é o colágeno e como ele é produzido?

O colágeno é uma proteína grande, presente fora da célula e serve para dar estrutura nos tecidos. Para quem não sabe, uma proteína é um conjunto de vários aminoácidos, ou seja, cada aminoácido é um tijolo para formar a proteína.  

Em nosso corpo existem vários tipos de aminoácidos e a combinação deles vai formar vários tipos de proteínas. Os principais tipos são:

  • O mais comum é o colágeno do tipo 1, responsável por formar os ossos, os tendões, os ligamentos, a pele, a córnea e vários outros tecidos. 
  • O colágeno do tipo 2, é o presente na cartilagem hialina, ou seja, a cartilagem da articulação. 
  • O colágeno do tipo 3 também faz parte da pele, dos tecidos de cicatrização, dos órgãos internos e dos vasos sanguíneos. 

Além disso, ainda existem vários outros tipos de colágeno no corpo, mas esses são os principais para usar como exemplo. 

Para o corpo produzir colágeno ele precisa principalmente da vitamina C. A falta de vitamina C pode causar escorbuto, uma doença que era frequente entre marinheiros que passavam muito tempo no mar. Seus vários sintomas incluem problemas na pele, nas mucosas, sangramento espontâneo e até morte.  

A relação da vitamina C com o colágeno no corpo

A vitamina C não serve para melhorar a absorção de colágeno, ela serve para produzi-lo pela própria célula. Por isso, ingerir a quantidade básica de vitamina C é fundamental para o seu próprio corpo continuar produzindo-a. Porém, não é indicado ingerir em excesso, pois grande parte vai embora na urina todo dia. 

Para saber mais sobre a importância da vitamina C no corpo, acesse o meu canal no YouTube. Lá, eu abordo de forma mais detalhada essa vitamina, vale a pena conferir!

A diferença entre os tipos de colágeno

Como mencionado, o colágeno presente na cartilagem é diferente do colágeno encontrado nos tendões, ossos e pele. Portanto, não adianta tomar colágeno tipo 2 se o seu problema é uma tendinite, por exemplo, ou se você está buscando benefícios para a pele. Isso não terá o efeito desejado. Da mesma forma, tomar colágeno tipo 1 esperando melhorar a saúde da cartilagem também não é eficaz.  

Mas afinal, qual a diferença entre o colágeno hidrolisado e não hidrolisado?

Hidrólise é um processo de quebra com água. Então, um colágeno hidrolisado, um whey protein hidrolisado, significa que essa proteína grande foi quebrada em vários pedacinhos menores que vão facilitar a digestão para absorção depois no intestino. 

Se você não tem problema nenhum de digestão, as próprias enzimas que o corpo produz já fazem essa hidrólise. E o não hidrolisado, geralmente comercializado do tipo 2, é na forma íntegra, ou seja, inteiro, onde nem passa pelo cozimento. 

O problema é que o colágeno como suplemento apresenta um valor biológico baixo perto de um whey protein ou um bife, por exemplo. Isso significa que o aproveitamento dos aminoácidos dessa proteína é baixo para a necessidade do corpo. 

O Colágeno Verisol e Peptan

O Colágeno Verisol e Peptan são duas marcas não hidrolisados indicadas popularmente, principalmente para a pele. Outros hidrolisados também são vendidos para articulação. 

Em um artigo científico, compararam dois grupos de ratos: um recebendo suplementação de colágeno hidrolisado e o outro sem essa suplementação. Os resultados mostraram que o grupo que recebeu o colágeno hidrolisado apresentou uma maior concentração de colágeno na cartilagem das articulações.

Os laboratórios que vendem esses produtos, citam esse artigo para justificar o uso do colágeno hidrolisado. No entanto, em muitos casos acontece uma manipulação, inclusive em que alguns médicos acabam não tendo uma formação acadêmica aprofundada. 

Portanto, se você quiser de fato entender mais desse assunto ou outros voltados a ortopedia, busque ajuda com um médico especialista.

Agende uma avaliação inicial com o Dr. Oliver Ulson

O colágeno hidrolisado

O colágeno hidrolisado então, nada mais é do que um colágeno quebrado em vários fragmentos pequenos para melhorar a absorção de aminoácidos. 

Se você segue uma dieta equilibrada com bastante proteína, em média 2g de proteína por quilo de peso corporal, não faz sentido ficar tomando suplemento de colágeno. Na verdade, o valor biológico de um whey protein, leite e derivados ou de qualquer tipo de carne, vai ser melhor do que esse suplemento. 

Artigo científico

Você deve estar se perguntando: “Como assim, um artigo científico conseguiu demonstrar que o colágeno foi para a cartilagem do rato?”. Pois bem, deixe-me explicar os detalhes desse estudo.

Observa-se, neste estudo, que o colágeno presente na cartilagem dos ratos que receberam suplementação era proveniente da própria suplementação administrada, e não há dúvidas quanto à veracidade dessa informação. Além disso, esse grupo apresentou uma quantidade maior de colágeno em comparação ao grupo controle que não recebeu a suplementação.

No entanto, essa diferença era previsível, pois o grupo controle tinha uma dieta composta apenas por Nutella. É evidente que uma dieta restrita a Nutella resultará em deficiência de vários nutrientes. Não é necessário ser um nutricionista para entender que uma alimentação tão desequilibrada pode levar a carências nutricionais significativas, certo?

Para uma comparação correta no estudo, os grupos de ratos deveriam ter uma dieta equilibrada de proteína. “Mas, doutor, tomei o colágeno e minha pele melhorou, me senti mais forte ou minha dor melhorou”.  

Nesse caso, três coisas podem ter acontecido: uma delas é que você está comendo pouca proteína e só de ter ingerido esse suplemento, percebeu algum resultado. Mas provavelmente se tivesse tomado um suplemento de whey protein barato já teria visto um resultado melhor, assim, é possível corrigir a dieta. 

O segundo motivo para você ter visto o resultado é que nesses suplementos existem várias outras coisas que realmente são eficazes e, talvez, foram esses outros fatores que fizeram você melhorar. A terceira causa é o efeito placebo, sempre importante de lembrar.

Colágenos hidrolisados verisol e peptan como fontes de aminoácidos  

Existem estudos que demonstram a eficácia desses colágenos, enquanto outros indicam que não há benefícios para pessoas com uma dieta balanceada. Além disso, alguns estudos são financiados pela indústria farmacêutica, o que pode influenciar os resultados.

Portanto, consumir estes colágenos vai fazer mal? Não, mas existem outras formas de suplementação que são mais baratas e mais eficientes.

Para relembrar, o colágeno é uma molécula grande que precisa ser digerida e absorvida pelo intestino antes de ser reformada no corpo. No entanto, nosso organismo utiliza os aminoácidos provenientes dessa digestão para produzir as proteínas que ele mais necessita no momento. Isso significa que consumir mais colágeno não garante que ele se transformará em colágeno novamente no nosso corpo. O único que possui um uso e explicação distintos é o colágeno tipo 2 não hidrolisado, conhecido como UC2.

Como repor estes aminoácidos para formação de colágeno?

Para a finalidade de reposição de aminoácidos necessários para a formação de novo colágeno, você pode consumir qualquer tipo de proteína. Por exemplo, tanto faz se você optar por uma sopa de pé de galinha, músculo ou gelatina. 

Qual a diferença entre colágeno não hidrolisado do tipo 2 para os outros tipos? 

O colágeno não hidrolisado do tipo 2 não serve para repor cartilagem, na verdade, o UC2 tem efeito de imunomodulação. 

Para entender como isso acontece, é preciso entender como que acontece a artrose na articulação. Artrose não é só desgaste, mas também uma inflamação, e é por isso que a dor melhora quando é feito o uso de anti-inflamatório. 

Quando o paciente apresenta um desgaste da cartilagem, fragmentos microscópicos de cartilagem, que contém o colágeno do tipo 2, ficam soltos no líquido sinovial, que é o líquido articular. 

Em volta da articulação tem uma membrana, que chama membrana sinovial. Nessa membrana tem 2 principais tipos de célula, os sinoviócitos tipo 1 e 2. 

Um deles é o que produz o líquido da articulação e o outro é um tipo de macrófago, uma célula de defesa do nosso sistema imunológico, que serve para proteger a articulação, contra algum tipo de microrganismo, como uma bactéria. 

O problema é que essa célula fagocita, ou seja, engloba, aquele pedaço de cartilagem microscópico e acha que é um corpo estranho, então ela começa a produzir substâncias para matar esse corpo estranho. Já essas substâncias são tóxicas para cartilagem e são inflamatórias, o que faz

 com que aumente o desgaste da cartilagem e a dor causada pela inflamação. 

Entenda as células

Nosso corpo possui células do sistema imunológico distribuídas por toda parte, e essas células se comunicam entre si. Quando ingerimos colágeno do tipo 2 integral e não desnaturado, ele entra em contato com um tecido no intestino chamado Placas de Peyer, que é rico em células imunológicas. Esse contato ajuda a dessensibilizar o sistema imunológico contra o colágeno tipo 2. 

Para que o colágeno do tipo 2 tenha o efeito desejado, a molécula precisa permanecer intacta até chegar ao intestino. Por isso, é essencial que ele não seja fervido, pois a fervura desnatura a proteína. Além disso, ele não deve passar pelo estômago, já que os sucos digestivos também desnaturam a proteína. 

Como se deve consumir o colágeno do tipo 2?

Deve-se consumir o colágeno do tipo 2 em forma de comprimidos ou cápsulas. É importante destacar que ele não é o mesmo tipo de colágeno encontrado em sopa de osso, pé de galinha, gelatina e outras receitas similares. 

O colágeno tipo 2 não hidrolisado passa por dois processos de desnaturação: primeiro, ao ser aquecido durante o preparo da comida, e depois, ao ser digerido no estômago.

Precisa de vitamina C para o UC2 funcionar?

Esse tipo de colágeno não requer vitamina C para ser eficaz, pois não é absorvido pelo intestino. Sua função principal é sensibilizar as células do sistema imunológico, o que justifica a dosagem diária recomendada de apenas 40 miligramas.

Esse colágeno serve especificamente para quando o paciente apresenta dor pelo desgaste da cartilagem, mas não é indicado para dores articulares de tendinopatia, bursite, nem osteopenia e osteoporose.

O que fazer para estimular a produção de colágeno nos tecidos?

Existem várias formas de estimular a produção de mais colágeno pelo corpo, como tratamentos bioestimuladores, lasers etc. Na ortopedia, podemos estimulá-lo de forma natural com um exercício feito da forma correta. 

Assim como o músculo, um osso, o tendão e os ligamentos, são sensíveis a estímulo mecânico. Então, quando acontece um estímulo mecânico da forma correta, é possível fazer o corpo melhorar a qualidade desse colágeno. 

O exercício não apenas fortalece os músculos, mas também os tendões e os ossos. No entanto, os tendões e os ossos demoram mais para responder ao estímulo do exercício em comparação aos músculos. Além disso, existem tratamentos mais modernos, como a terapia por ondas de choque, que estimula de forma mais intensa e eficaz a cicatrização e regeneração dos tendões e ossos.

Caso você queira saber mais sobre o tratamento com ondas de choque, assista esse vídeo do meu canal no YouTube em que eu explico detalhadamente sobre todo o tratamento.  

.           .          .

Neste artigo eu busquei explicar mais sobre o colágeno e quando e qual tipo é indicado suplementar, assim como formas naturais de obtê-lo e incentivar a produção pelo próprio corpo. É importante ressaltar que ter orientação médica é indispensável para consumir quaisquer vitaminas ou suplementos, a fim de não comprometer a sua saúde.

Conheça o Dr. Oliver Ulson

O Dr. Oliver é médico ortopedista, especialista em joelho e traumatologista. Com sua experiência pessoal em esportes e no cuidado a pacientes com doenças degenerativas, o Dr. Oliver Ulson identifica duas áreas de interesse específico: o atendimento ao idoso (ortopedia geriátrica) e o cuidado ao atleta (traumatologia esportiva).

Se você deseja saber mais sobre colágenos ou outras questões relacionadas à ortopedia, além de obter uma avaliação completa para determinar qual o tratamento mais indicado para você, o Dr. Oliver está disposto a te ajudar! 

Marque uma consulta com o Dr. Oliver Ulson